Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
© DR

Miranda do Douro recebe concertos nos dias 17 e 18 de dezembro

O PROMENADE 21 - ciclo de concertos de piano e música de câmara - chega, nos dias 17 e 18 de dezembro, a Miranda do Douro. A entrada é gratuita. 

-PUB-

No dia 17 de dezembro, pelas 21h30, a Concatedral de Miranda do Douro, recebe “Quintetos”, naquele que será o primeiro recital dedicado a música de câmara do programa PROMENADE 21. O Quarteto de Cordas Gil Teixeira Lopes atuará com a jovem pianista Catarina Madeira, e serão interpretadas obras de Mozart e Schubert.

Para o segundo dia, 18 de dezembro, o programa será dedicado aos meses do ano, conciliando a versão musical das “Estações” de Tchaikovsky com os “Retratos dos Meses” do mestre pintor Pieter Balten (1527-1584) – um conjunto de 12 quadrinhos pintados pelo artista na Antuérpia -, um património artístico único que enriquece a Concatedral de Miranda do Douro. A música estará a cargo da pianista de origens mirandesas, Sara Mendes. O concerto está agendado para as 16h00. 

O PROMENADE 21 prossegue em 2022, no dia 9 de janeiro, com um concerto no Seminário Maior de Coimbra (18h00) e, no dia 15 de janeiro, com dois concertos: em Sardoal, no Centro Cultural Gil Vicente (16h00) e no Conservatório de Música de Coimbra (21h30).

O ciclo de concertos PROMENADE 21 é promovido pela Associação António Fragoso e tem direção artística a cargo da Academia Internacional de Música “Aquiles Delle Vigne“. A iniciativa é financiada pelo programa Garantir Cultura tendo como parceiro institucional o Ministério da Cultura – República Portuguesa.  

A entrada nos concertos é gratuita, mas limitada à lotação dos respetivos espaços. É obrigatória a apresentação de Certificado de Vacinação ou teste PCR negativo ao Covid-19.  

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.