Segunda-feira, 24 de Junho de 2024
No menu items!

Município assinalou Dia Internacional da Reciclagem

Celebrado anualmente a 17 de maio, o Município de Vila Real promoveu, uma coleta de resíduos nas margens urbanas do Rio Corgo.

-PUB-

Em parceria com a ARCA – Associação para a Recuperação e Conservação Ambiental, esta atividade teve a ajuda fundamental do Regimento de Infantaria 13 e da Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Vila Real.

“O projeto tem dois trajetos pré-definidos nas margens do Rio no Parque Corgo, na zona da Timpeira e perto do Codessais”, explicou a autarquia em comunicado. As equipas institucionais e um grupo de voluntários que se juntaram a esta iniciativa, recolheram vários resíduos ali depositados, muitos de grandes volumes (colchões de esponja, plásticos, barras de ferro, pneus, alguns resíduos de obras) e foi encontrado um pouco de tudo.

Mais uma vez, constatou-se a importância da preservação do meio através de práticas sustentáveis, nomeadamente no correto descarte dos resíduos que cada um de nós produz, mas também uma verificação da extrema importância do voluntariado em prol da comunidade.

No início da tarde, juntaram-se à atividade a professora Andreia e alunos do 11º ano do Colégio João Paulo II que, no âmbito da disciplina de Filosofia, entrevistaram Mafalda Vaz de Carvalho, da Divisão do Ambiente, sobre o presente e o futuro das iniciativas promovidas pela autarquia em prol da qualidade ambiental e sobre o papel de cada indivíduo em toda a dinâmica e estratégia municipal para a separação dos resíduos.

O David e a Mariana (da ARCA) puderam também responder a algumas questões sobre a motivação da criação de uma associação, sem fins lucrativos, que se propõe a intervir na comunidade apenas com o intuito de melhorar a qualidade de vida de todos. Depois de uma conversa repleta de exemplos de altruísmo e dedicação ao próximo, aquela turma se juntou ao grupo e desceu às margens do Corgo para ajudar na recolha de resíduos.

O Regimento de Infantaria 13 teve um comportamento de destaque, com os elementos ali destacados, com as suas técnicas e ferramentas para melhor se alcançarem as margens do Rio e com a coordenação da operação pelo Sargento Coutinho, não teria sido possível ir chegar tão perto do curso de água onde se encontravam a maioria dos resíduos volumosos. No final da atividade, com muitos sacos de resíduos recolhidos e com a vasta equipa ali presente, constatou-se que, de facto, todos temos um papel preponderante na prevenção e na correção destas situações e que juntos, nas diferentes capacidades e competências, fazemos a diferença. 

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS