Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2022
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Palhaço da McDonald’s promete “agitar” mentalidades

Nos dias 19 e 20 de novembro, a peça de teatro "A História de Ronald, o Palhaço da McDonald's" sobe ao palco do Auditório do Centro Cultural de Chaves com uma “crítica feroz à sociedade”

-PUB-

Escrita pelo argentino Rodrigo García, a peça “A História de Ronald, o Palhaço da McDonald’s” apresenta-se de forma “mordaz” e “satírica”, abordando temas que prometem “agitar” mentalidades. É, em resumo, uma crítica à sociedade contemporânea, como explica o encenador, Paulo Casas Morais.

Quero mesmo que esta peça agite as mentalidades. Acreditamos que o teatro não é só uma questão de entretenimento.”
Paulo Casas Morais, encenador 

“O autor está sempre numa montanha russa de situações do quotidiano com situações de crítica. A partir destas, através da sátira, vai enfatizar problemas do nosso mundo. Falamos de violência policial, violência doméstica, em paralelo com o homem que, ao almoço, não come salada e irrita toda a gente porque não come salada”, explicou.

Ao mesmo tempo, “ao contrário da última produção da Indieror”, o objetivo passa por “trazer a comédia e a sátira à cena”, num espaço que procura recriar um restaurante da cadeia McDonald’s, com funcionários que são “um só, uma personagem-tipo”.

 

“Quero mesmo que esta peça agite as mentalidades. Acreditamos que o teatro não é só uma questão de entretenimento, para fazer rir, para deixar o espírito das pessoas um pouco mais leve. Também queremos que isso aconteça, naturalmente, mas quero que saiam do espetáculo com o pensamento de que também elas fazem aquilo que é criticado, identificando-se com os comportamentos que estamos a contrariar e criticar”, frisou Paulo Casas Morais.

É uma mensagem poderosa que vai ao encontro de muito do que acontece, mas que ninguém sabe que acontece.”
Sandra Brás, atriz

O espetáculo, em ensaios há mais de um mês, é composto por cinco atores. Um deles é Sérgio Machado, docente em Chaves, que dá vida a uma personagem “odiável”, o que lhe dá “algum gozo” por poder “mexer com a hipocrisia da sociedade”.

É uma crítica social, mas que serve para reconhecermos os nossos erros, nos identificarmos e melhorar.”
Sérgio Machado, ator 

“É uma crítica social, mas que serve para reconhecermos os nossos erros, nos identificarmos e melhorarmos, porque a arte, ao fim ao cabo, é isso mesmo”, vincou.

Sandra Brás, médica dentista, por sua vez, considera a sua personagem “desafiante pelo conteúdo”, por ir ao encontro “de um problema da sociedade, a violência doméstica”, representada “do feminino para o masculino”.

“É uma peça que nos faz refletir sobre a nossa postura perante os nossos filhos, os nossos maridos e as nossas esposas, quando o nosso dia-a-dia se reflete dentro de portas.

É uma mensagem poderosa que vai ao encontro de muito do que acontece, mas que ninguém sabe que acontece”, frisou a atriz.

“A História de Ronald, o Palhaço da McDonald’s”, recomendada para maiores de 16 anos, sobe a palco no próximo fim de semana, no Auditório do Centro Cultural de Chaves.

Mais informações em www.indieror.pt/ronald

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.