Quarta-feira, 25 de Maio de 2022

População queixa-se da fraca qualidade da água e dos cortes sucessivos

Segundo os populares da aldeia, que tem mais de 300 habitantes, esta situação verifica-se desde que a empresa Águas do Interior Norte (AdIN) assumiu a gestão da água no concelho transmontano, depois de oito municípios durienses se terem unido e criado a empresa para gerir a água e os resíduos. 

“É muito desagradável quando uma pessoa se levanta de manhã, prepara-se para tomar banho, abre a torneira e não há água. Já estivemos quatros dias sem água e sem explicações por parte da empresa, que não avisa ninguém dos cortes, para que nos possamos precaver”, lamenta uma moradora da aldeia, que prefere não revelar a identidade. 

Outra situação apontada pelos moradores tem a ver com a qualidade

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.