Sábado, 3 de Dezembro de 2022
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Portugal fecha espaço aéreo a companhias aéreas russas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros anunciou hoje que Portugal vai fechar o seu espaço aéreo a companhias aéreas russas, na sequência da invasão da Rússia à Ucrânia.

PUB

“Portugal vai fechar o seu espaço aéreo a companhias de aviação da Rússia. Tomamos esta medida em articulação com os nossos parceiros europeus e em resposta à agressão da Rússia contra a Ucrânia”, pode ler-se numa publicação do ministério na sua conta oficial no Twitter.

Portugal segue assim a tomada de posição de vários países europeus, entre os quais Reino Unido, França, Itália, Alemanha, Bélgica, Luxemburgo, Dinamarca, República da Irlanda, República Checa, Polónia, Alemanha, Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia e Finlândia.

Hoje, o ministro francês Jean-Baptiste Djebbari, disse que “a unidade da Europa é total” neste aspeto, e a Air France anunciou que vai suspender de forma temporária o “voos de e para a Rússia”, não operando voos para Moscovo e São Petersburgo até novo aviso “tendo em conta a situação na região”.

Um porta-voz da companhia acrescentou que a Air France também está a suspender voos de e para a China, Coreia e Japão, “enquanto investigam opções de planos de voo para evitar o espaço aéreo russo”.

O ministro da Mobilidade da Bélgica, Georges Gilkinet escreveu no Twitter que a Europa “deve isolar a Rússia económica e financeiramente, mas também no ar”.

Já a companhia aérea neerlandesa KLM cancelou, no sábado à noite, todos os voos de e para a Rússia, o que acontecerá durante pelo menos os próximos sete dias, uma vez que as sanções a impedem de transportar peças sobressalentes e não pode “garantir que os voos possam regressar em segurança”, afirmou.

Esta decisão significa que a KLM terá de utilizar rotas alternativas nas rotas em que sobrevoa regularmente o espaço aéreo russo a caminho da China, Coreia do Sul e Japão.

Também a alemã Lufthansa decidiu suspender os seus voos de e para a Rússia durante sete dias.

Recorde-se que a Rússia lançou, na quinta-feira de madrugada, uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocaram cerca de 200 mortos, incluindo civis, e mais de 1.100 feridos

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.