Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
©DR

Quase todo o interior norte em risco máximo de incêndio

Mais de 80 concelhos do país, no interior norte e centro e no Algarve, mantêm-se hoje com risco máximo de incêndio, devido às temperaturas elevadas, alerta o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

-PUB-

Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Covilhã, Castelo Branco, Santarém e Faro são os distritos abrangidos por este alerta de risco máximo de incêndio.

Sob risco muito elevado estão mais de 50 concelhos dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Santarém, Lisboa, Beja e Faro.

Em risco elevado de incêndio está praticamente todo o Alentejo e grande parte da costa litoral, abrangendo mais de 70 concelhos dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Portalegre, Évora, Setúbal, Beja e Faro.

O restante território apresenta um risco moderado e reduzido, consoante a região.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O período crítico de incêndios dura até final de setembro e, até lá, é proibido fazer queimadas extensivas ou queima de amontoados sem autorização, usar fogareiros ou grelhadores em todo o espaço rural, e fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais.

É proibido ainda lançar balões de mecha acesa ou foguetes ou fazer trabalhos na floresta que possam originar faíscas.

O IPMA colocou hoje sob aviso laranja (o segundo mais grave) por causa do tempo quente os distritos de Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Faro.

Sob aviso amarelo estão os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Santarém, Lisboa e Setúbal.

Para hoje, o IPMA prevê em Portugal continental tempo quente com céu geralmente limpo.

As temperaturas máximas vão variar entre os 24º (Aveiro) e os 41º (Évora e Beja) e as mínimas entre os 13º (Porto) e os 24º (Faro).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.