Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Vestígio indicia ocupação visigótica em Sabrosa

A propósito de escavações iniciadas, na segunda-feira, na Necrópole Medieval das Touças, em Garganta, concelho de Sabrosa, foi descoberto um vestígio arqueológico dos séculos VI/VIII "de elevada importância"

-PUB-

A Associação de História de Arqueologia de Sabrosa (AHAS) iniciou escavações na Necrópole Medieval das Touças na última segunda-feira. De entre os “vários achados estruturais e artefactuais”, em comunicado, o município destacou “a descoberta de um vestígio dos séculos VI/VIII de elevada importância”.

Trata-se de “uma curiosa fivela liriforme, em bronze”, descoberta pela equipa de arqueólogos responsável pelas referidas escavações. Segundo avançou a autarquia de Sabrosa, “os pesquisadores acreditam que este artefacto sugere a possibilidade de ocupação visigótica na zona de Trás-os-Montes”, sendo que este vestígio é “um achado inédito, visto que até à data não havia registos da mesma nesta região”.

Num balanço do trabalho desenvolvido ao longo da semana, o município de Sabrosa referiu que “as escavações resultaram na descoberta de vários artefactos arqueológicos pela AHAS”, acrescentando, ainda, que “este número tende a aumentar com o avanço das mesmas, sendo um bom indicador para futuras pesquisas”.

A Necrópole em causa, vulgarmente conhecida como “Cemitério dos Mouros”, fica situada “junto a um antigo caminho rural que une os lugares de Garganta e Vilar de Celas, estando associada um antigo povoado aberto, constituído por cinco sarcófagos rupestres, uma sepultura rupestre geminada, um marco de demarcação da antiga Ordem Militar e Religiosa de Malta e mais de 90 ortostatos ou pedras fincadas”, explicou a autarquia.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.