Sábado, 12 de Junho de 2021
©Márcia Fernandes

A simbiose perfeita entre a história e a natureza -Terras de Panóias – Constantim e Vale de Nogueiras

A União das Freguesias de Constantim e Vale de Nogueiras é uma freguesia de perfil periurbano

-PUB-

Com cerca de 26 km² de área, aproximadamente 1900 eleitores, e da sua constituição fazem partes as localidades: Assento, Carro-Queimado, Carvas, Constantim, Galegos, Ludares, Santa Marta e Vale de Nogueiras. 

Nesta União de Freguesias está bem patente a dualidade entre as zonas urbana e rural, contudo estas duas áreas complementam-se e engrandecem a freguesia. Na área rural é a natureza que se evidencia com as suas ribeiras, os seus terrenos montanhosos cobertos de giestas e urze, abraçados por fragas e também pelo silêncio, que convidam à contemplação e à descoberta destes lugares idílicos. Outrora, estes terrenos propiciaram a prática da agricultura e a criação de gado, que durante anos foram as principais atividades económicas da freguesia de Vale de Nogueiras. 

Na área urbana, o destaque vai para a Zona Industrial, que é o motor de desenvolvimento económico da região, com a criação de emprego que permite a fixação de pessoas e a produção de riqueza. Existe ainda o Parque de Ciência e Tecnologia – Regia Douro Park, onde estão instaladas 85 empresas.

O desafio da pandemia

Desde março de 2020 que esta Junta procurou empenhar-se no apoio prestado àpopulação, “mobilizando todos os meios e recursos de que disponibilizava”. O executivo apoiou financeira e materialmente os Centros Sociais da União de Freguesias, procurou desenvolver novas formas de apoio à população, em que se destaca a “realização de compra e entrega de bens de primeira necessidade a quem mais deles precisava, a entrega de medicação, o auxílio no ensino à distância com a impressão e recolha de trabalhos para os alunos com dificuldades no acesso à internet, bem como o apoio na distribuição de refeições aos alunos carenciados”. 

Mais recentemente e com o processo de vacinação contra a SARS-CoV-2 em curso, foi também “garantido o transporte para os locais de vacinação a todos os cidadãos que o solicitaram, articulando ainda com os serviços de saúde e do município na convocatória para a vacinação”. Importa ressalvar que devido a esta pandemia, algumas das intervenções de considerável investimento foram adiadas, estando prevista a sua execução durante as próximas semanas. O conhecimento da realidade local e a criação de uma relação de proximidade “são a prova de que o poder local é fundamental na mitigação dos problemas da população, e esta pandemia veio evidenciar isso mesmo”, refere o executivo, liderado por Francisco Nogueira. 

Uma freguesia com riqueza associativa

 

Em Constantim e Vale de Nogueiras existem várias associações com grande impacto na dinamização local, sendo de destacar a Associação Cultural e Desportiva de Vale de Nogueiras, a Associação de Cultura, Etnografia e Folclore da Freguesia de Vale de Nogueiras, os Jovens Astutos – Associação Cultural e Recreativa (engloba o Rancho da Tentação de Ludares), as Pedras Vivas GJ de Vale de Nogueiras, o Centro Desportivo Cultural e Recreativo de Nª Sª do Carmo de Carro-Queimado, o Grupo de Jovens de Constantim, o grupo Motoclube as Bruxas, o Grupo de Cicloturismo de Constantim, a Associação Natura Viva (Equipa de Sapadores Florestais), o Grupo de Catequese e Acólitos de Constantim e a Associação Desportiva e Cultural de Constantim.  Importa salientar que a ADC Constantim tem sido responsável pela formação desportiva de centenas de jovens, e que há muito ansiava por investimento no melhoramento dos seus equipamentos. Neste momento, com o apoio do município de Vila Real e desta Junta, estão em curso obras de colocação de relvado sintético e construção de uma bancada. “Pretendemos continuar a apoiar todas as associações da Freguesia, nos seus projetos para o futuro”, revela o executivo, adiantando que esta riqueza “não se pode perder, pois traz grande vitalidade ao território”.

Modernização digital

Um dos maiores problemas com que este executivo se debateu foi a “falta de cobertura de fibra ótica na generalidade das aldeias da União de Freguesias. No entanto, num futuro próximo “está prevista a instalação de um ponto de presença (POP) que permitirá que a totalidade da Freguesia tenha cobertura de fibra ótica”. Para além disso, a Junta foi também dotada com software para contabilidade, registo de cemitérios, licenciamento de canídeos, levantamento e registo de inventário e cadastro de património, acompanhando assim a era digital em que vivemos.

Este executivo aderiu recentemente ao espaço SNS 24 Balcão. “Estes serviços digitais e de teleconsulta estarão brevemente disponíveis para os cidadãos desta União de freguesias, permitindo assim uma maior proximidade aos cuidados de saúde. O executivo considera que a implementação deste balcão é uma mais-valia para todos os cidadãos da nossa freguesia”, sublinha o executivo.

 

Constantim e Vale de Nogueiras… Uma freguesia  a visitar 

 

Falar de Constantim e Vale de Nogueiras implica falar de Panóias, que deu nome a uma vasta região (Terras de Panóias) e do seu património histórico e arquitetónico que o passado legou.

Fragas de Panóias  Santuário de Panóias

O Santuário de Panóias, inicialmente designado por Fragas de Panóias, foi classificado como Monumento Nacional em 1910, e é pertença do Estado. A sua construção remonta aos finais do século II e início do século III por ordem de Gaius C. Calpurnius Rufinus, membro da ordem senatorial e alto funcionário do governo provincial da região às ordens de Roma. Neste santuário dedicado a Serápis, deus dos infernos ou dos Deuses “Severos”, essencialmente composto por três grandes fragas, eram realizados rituais pagãos dedicados às divindades infernais. Nessas fragas são ainda bem visíveis as cavidades distintas que serviam para queimar as vísceras, assar a carne e derramamento de sangue usados nos rituais.

 

Monte do Clamor

 

O Santuário do Monte do Clamor fica situado entre as aldeias de Santa Marta e de Carvas e é composto por três capelas distintas. A mais antiga, um pequeno edifício retangular, terá sido, muito provavelmente, a capela-mor deuma antiga igreja medieval. Ao longo dos últimos anos, este monte foi alvo de várias intervenções, constituindo nos dias de hoje um local que convida ao relaxamento e à contemplação da natureza, e ainda um lugar muito aprazível para atividades de culto e lazer. 

 

Igreja paroquial de Constantim

A igreja de Constantim integra-se num pequeno largo desta aldeia, que em tempos (desde 1096 até à fundação de Vila Real em 1289) foi centro administrativo das Terras de Panóias. A construção desta igreja remonta ao século XVIII. A peça mais importante a ver na Igreja de Constantim é a calote craniana de S. Frutuoso, um santo que terá nascido no final do século XI nesta aldeia, e que nela acolhe grande devoção popular. 

 

Igreja paroquial de vale de nogueiras

A igreja Paroquial de Vale de Nogueiras situa-se ao lado do Santuário de Panóias, na localidade do Assento.

Os seus traços arquitetónicos indicaram que se trata de uma construção do século VI ou VII.

 

 

Aldeia de Galegos

A aldeia de Galegos recebeu forais de D. Dinis, no início do século XIV, e posteriormente de D. Manuel, em 1519, tendo chegado a ser concelho. Destaca-se na aldeia a presença do Pelourinho, um monumento de relevante testemunho histórico, considerado de interesse público desde 11 de outubro de 1993. 

 

 

Curiosidades

• A aldeia de Constantim foi fundada no ano de 312 D.C. pelo Imperador Constantino Magno, que atendendo à importância de ‘Panoyas’, fundou a Vila de Constantim para sede do Município. Já em 1906 o Conde D. Henrique deu Foral a Constantim pela sua Importância, Capital de Terra de ‘Panyoas’, sendo confirmado em 1128 por D. Afonso Henriques. Constantim, nos seus tempos primórdios, era habitada fundamentalmente por comerciantes e artífices,

 

“Tem sido uma experiência gratificante e enriquecedora. Reunimos uma equipa que se mostrou sempre disponível para ajudar quem
nos procura”

 

Francisco Nogueira

 Presidente UF Constantim
e Vale de Nogueiras

 

sendo a agricultura secundária. Nesta localidade, nessa época era realizada uma das maiores feiras do Norte, a “Feira de Constantim”. Desde o ano de 2016 tem sido realizada anualmente a Feira Medieval de Constantim, alusiva àquela época, estando atualmente

suspensa devido à pandemia.

• Vale de Nogueiras recebeu Foral em 1258 concedido por D. Afonso III.

• A aldeia de Galegos recebeu forais de D. Dinis, no início do século XIV, e de D. Manuel I, em 1519, tendo chegado a ser concelho.

• Carro Queimado recebeu foral de D. Dinis em 1291.

“Um cargo desafiante, onde o conhecimento da realidade local e a criação de uma relação de proximidade e afetividade foram fundamentais”

 

Marta Paulo

Secretária UF Constantim
e Vale de Nogueiras

“Este mandato resumo-o em três palavras: compromisso, dedicação e transparência”

 

Luís Pedro

tesoureiro UF Constantim
e Vale de Nogueiras

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.