Domingo, 9 de Maio de 2021
©Márcia Fernandes

Alunos da escola do prado preocupados com o planeta

O Dia da Terra foi celebrado na Escola Básica do Prado, integrada no Agrupamento de Escolas da Diogo Cão, onde o momento foi também aproveitado para hastear mais uma Bandeira de Eco-Escola. 

O Dia da Terra foi celebrado na Escola Básica do Prado, integrada no Agrupamento de Escolas da Diogo Cão, onde o momento foi também aproveitado para hastear mais uma Bandeira de Eco-Escola. 

Para as crianças foi um dia diferente, onde não faltou a música e animação, mas o mais importante foi mesmo as prendas que ofereceram à horta biológica, como borboletas, espantalhos e casinhas. 

 

 

Somos
eco-escola e temos de cuidar dos animais e das plantas para vivermos melhor”

Eva Pereira

pré-escolar

Eva Pereira, de 6 anos, ofereceu uma borboleta à horta biológica “para ficar mais bonita”. “Somos eco-escola e temos de cuidar dos animais e das plantas para vivermos melhor”, referiu à VTM, a aluna que frequenta o pré-escolar.

Sofia Ribeiro, do 3º ano, ofereceu espantalhos, que foram feitos por todas as turmas do terceiro ano. “Não foi difícil, porque trabalhamos em equipa e conseguimos fazer cinco. Os espantalhos são importantes para tirar os pássaros da horta e não comerem as sementes que plantamos”. 

 

 

Não foi difícil, porque trabalhamos
em equipa e conseguimos fazer cinco espantalhos”

Sofia Ribeiro

3º ano

 

Aprendemos
a não poluir
a natureza e a conservar o planeta, que pode acabar se não tratarmos dele”

Mateo Brás

4º ano

Aluno do 4º ano, Mateo Brás revela que ofereceram casinhas para os pássaros. “São para os passarinhos quando não tiverem abrigo poderem ir para lá fazer o seu ninho e chocar os ovos para terem os seus filhos”. 

À semelhança de outros alunos, Mateo gosta muito de andar nesta escola e aproveitou para lembrar a importância de preservar o planeta. “Aqui aprendemos a não poluir a natureza e a conservar o planeta, que pode acabar se não tratarmos dele”. 

 

A coordenadora do programa Eco-Escolas, Luísa Queirós, sublinhou os valores da sustentabilidade que são transmitidos desde cedo às crianças, que acredita que serão “eco-cidadãos a vida inteira”. “Não temos de ter um dia para celebrarmos a terra, porque nós lembramo-nos e cuidamos dela todos os dias”, adiantando que os meninos “estão muito sensibilizados para estas temáticas, mas tem de haver um dia dedicado à Terra para aquelas pessoas que se esquecem e continuam a poluir, que não separam os lixos, que não pensam na biodiversidade e sustentabilidade do planeta, porque só temos este, por isso devemos preservá-lo para que ele não seja destruído”.

José Armando, presidente da União de Freguesias de Borbela e Lamas d’Olo, marcou presença na cerimónia ao descerrar a placa de “escola amiga da criança”, lembrando a importância da escola para a freguesia. “Estamos orgulhosos com o facto de termos mantido a escola. Foi uma guerra manter esta escola aberta, em que destaco o apoio do executivo, que nos ajudou a manter a escola, que é muito procurada pela comunidade”. 

O autarca refere ainda que estão a decorrer as obras para melhorar as condições para as crianças, que devem estar concluídas no início do ano letivo

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.