Sábado, 16 de Outubro de 2021
© DR

APFTFB lança novo projeto para valorizar fumeiro de Montalegre

A Associação dos Produtores de Fumeiro da Terra Fria Barrosã (APFTFB) lança, esta quinta-feira, o projeto "Fumeiro e Presunto de Montalegre - Qualificar, Diferenciar e Posicionar”, cujo investimento previsto ronda os 245 mil euros

-PUB-

Segundo comunicado do município de Montalegre, a iniciativa “vai trabalhar diretamente com os produtores, capacitando-os e incentivando-os para a promoção e diferenciação de um dos produtos mais distintivos do país”.

O projeto “Fumeiro e Presunto de Montalegre – Qualificar, diferenciar e Posicionar”, junta cerca de 70 produtores e dá continuidade a um primeiro projeto que deixou raízes importantes para os agentes da fileira. “Fumeiro de Montalegre – Cooperar para Competir e Desenvolver” decorreu entre fevereiro de 2017 e julho de 2019 e teve como principais pilares a capacitação e a promoção.

O novo projeto arranca já esta quinta-feira, no Pavilhão Multiusos de Montalegre, naquela que será a primeira sessão de capacitação. A abertura estará a cargo do Presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves e do Presidente da APFTFB, Boaventura Moura. A apresentação do projeto será feita por Fernando Pereira, da APFTB.

O lançamento conta ainda com as intervenções de Helena Ribau e Alfredo Pereira (Ruris) que irão focar a sua comunicação na “Importância da IGP na valorização do Fumeiro de Montalegre”. O encontro termina com a apresentação da proposta da versão 2021/2022 da Plataforma de Venda Online de Fumeiro de Montalegre, por João Costa (SOOS).

O projeto “Fumeiro e Presunto de Montalegre – Qualificar, diferenciar e Posicionar” decorre de uma candidatura aprovada ao Sistema de Incentivos às Ações Coletivas, do Norte 2020, e estará em curso até fevereiro de 2023. O investimento previsto ronda os 245 mil euros.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.