Quinta-feira, 29 de Julho de 2021
© DR

Autarquia diz que EIA da Mina do Barroso contém “inverdades”

Estudo de Impacte Ambiental é contestado pelas populações e entidades locais, assim como por alguns partidos políticos. Autarca espera que a APA “dê parecer negativo”.

-PUB-

A Câmara de Boticas mostrou a sua oposição ao Estudo de Impacte Ambiental (EIA) sobre a exploração de lítio na Mina do Barroso, porque “contém inverdades”.

Num documento com 134 páginas, a autarquia, liderada por Fernando Queiroga, sustenta que o EIA “está repleto de desconformidades para além de padecer, ao nível da avaliação dos impactes, de problemas metodológicos muito graves e de incongruências inadmissíveis”.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.