Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Barragem de Fontelonga com água até novembro

Desde o início deste mês que vários camiões-cisterna levam água do rio Tua para a barragem, para que seja possível abastecer a população.

PUB

A seca fez com que a Barragem de Fontelonga, em Carrazeda de Ansiães, ficasse com níveis de água muito baixos.

As previsões apontavam para que a água ali existente permitisse abastecer a população até outubro, motivo que levou a autarquia a avançar com uma operação de transporte de água, desde o rio Tua, na Brunheda, até à barragem, com recurso a camiões-cisterna.

Graças a esta operação, a barragem já tem água para mais um mês, ou seja, até novembro.

“Estamos a fazer monitorizações semanais do plano da albufeira e podemos dizer que a velocidade de diminuição do volume de água da albufeira é muito menor. Isso deve-se, com certeza, à operação que está em curso, mas também ao facto de estarmos num período em que o consumo de água é menor em relação a agosto”, explica João Gonçalves, presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães.

O autarca recorda que “tínhamos previsto um momento crítico para finais de outubro, mas neste momento podemos afirmar, com alguma segurança, que temos água garantida até finais de novembro”, isto se, entretanto, não chover com abundância.

De referir que, devido à seca, a autarquia liderada por João Gonçalves, conseguiu apoio por parte do Fundo Ambiental para colocar camiões-cisterna a transportar cerca de 900 mil litros de água por dia para a barragem de Fontelonga, uma operação que representa um investimento a rondar os 400 mil euros.

 

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.