Sábado, 16 de Outubro de 2021
© DR

“Cinema de 8 a 80” quer suprir pouca oferta e ser festival de Trás-os-Montes

O projeto cultural “Cinema de 8 a 80”, que durante a pandemia levou a Sétima Arte ao distrito de Bragança, quer evoluir para festival e suprir a escassez de oferta na região, divulgou hoje o promotor

-PUB-

O projeto é da autoria do professor de Cinema Tiago Fernandes, que teve o apoio do programa Garantir Cultura e foi o único que durante a pandemia permitiu a exibição de filmes nos concelhos de Bragança, Mirandela e Vinhais, nomeadamente em zonas rurais.

Depois das sessões ao ar livre, segue-se agora uma nova fase junto dos mais novos com a Oficina de Cinema para alunos do primeiro ciclo do ensino básico e a ambição do promotor de convencer mais municípios a aderir e transformar o projeto num festival de cinema de Trás-os-Montes.

Segundo Tiago Fernandes, esse será o objetivo de futuro para depois do balanço deste projeto pensado “para colmatar a fraca oferta que existe” de cinema nesta região e que “é uma desigualdade no acesso à cultura em relação a outras regiões do litoral”.

No distrito de Bragança não existem salas comerciais de cinema e a exibição de filmes é assegurada por alguns municípios, mas foi interrompida com as restrições impostas pela pandemia de covid-19.

Entre julho e o dia de hoje, este projeto cultural proporcionou oito sessões de cinema ao ar livre com entrada gratuita, com adesão considerada “gratificante” pelo promotor, que aponta o exemplo de localidades mais pequenas onde estiveram “cerca de 70 pessoas”, mesmo cumprindo as limitações impostas pelas regras sanitárias.

A segunda fase do projeto decorre entre outubro e novembro e vai às escolas dos três concelhos envolvidos com a Oficina de Cinema para crianças do primeiro ciclo.

Os mais novos vão ouvir a história do Cinema, participar na rodagem de uma curta-metragem, com a oportunidade de mexer na câmara e equipamento, e o resultado será exibido no final do projeto, como explicou o coordenador.

“O objetivo é permitir um contacto próximo com as materialidades cinematográficas e suscitar o interesse das crianças e uma valorização desta atividade cultural desde a infância”, apontou Tiago Fernandes.

Devido à pandemia, a apresentação pública do projeto decorreu hoje quando este já vai a meio do plano pensado pelo docente, dinamizado pela empresa Esfera Similar e cofinanciado pelo programa Garantir Cultura, um apoio que visa mitigar os impactos da crise pandémica no setor cultural e estimular a gradual retoma da atividade artística e cultural.

Tiago Fernandes espera que este projeto cultural seja a génese de um futuro “festival de cinema que envolva vários municípios por toda a região de Trás-os-Montes”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.