Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2024
No menu items!

“É um jogo em que não temos nada a perder e tudo a ganhar”

É com este espírito que o CDC Montalegre vai entrar amanhã em campo no jogo com o FC do Porto, segundo o treinador Tony da Silva.

-PUB-

“É um jogo em que nós não temos nada a perder e tudo a ganhar”, afirmou na conferência de imprensa de antevisão do jogo para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Reconhecendo que não espera facilidades por parte do atual detentor do troféu, garante que a equipa vai discutir o jogo e lutar pela vitória, mesmo que não seja tarefa fácil. “Sabemos de antemão as dificuldades que vamos enfrentar e todos vamos levar uma lição desse jogo. O que quero dos meus jogadores é que discutam o jogo, sejam iguais a eles próprios, joguem com coragem e que sintam prazer naquilo que fazem. Sabemos que é extremamente difícil, mas iremos lutar como qualquer barrosão. Temos um lema que é antes quebrar que torcer”, sublinhou.

Reconhecendo que o único bom resultado é ganhar, afirma que a equipa “tem de ser humilde e reconhecer o poderio do Futebol Clube do Porto, contudo garante que vão “lutar pela vitória, sabendo que é difícil, vamos com as nossas armas e com certeza iremos fazer um grande jogo”.

Tony destacou a dimensão do adversário, que quatro dias depois de defrontar o Montalegre vai jogar com o Barcelona, afirmou: “a nossa liga dos campeões será sexta-feira”.

“Sabemos que o FC Porto nunca facilita e revejo-me muito no Sérgio Conceição, pela paixão e seriedade que transmite, para ele é tão importante o jogo com o Montalegre como com o Barcelona”.

Não se mostra, no entanto, preocupado, pois independentemente do resultado acredita que os jogadores “vão ser uns campeões, pela dignidade e pelo trabalho”.

A atravessar um bom momento competitivo, o treinador do Montalegre foi questionado se este é o melhor momento para defrontar o FC Porto. “Para chegar aqui tivemos que suar muito, não foi fácil, não há um momento certo ou menos certo. O mais importante é continuar a fazer o que mais gostamos, jogar futebol e dignificar as cores do nosso clube e que as pessoas de Montalegre tenham orgulho na equipa”, vincou.

A nível de preparação de jogo, foi feita “exatamente da mesma maneira, porque não faz sentido nenhum trabalhar de forma diferente só por ser o FC Porto, sempre com dedicação e paixão”.

“Não somos os melhores, nem os piores, mas temos entrega e um grande coração”, frisou.

Cabe aos jogadores “desfrutar do jogo e atrair luzes para cima deles”.

Com o plantel todo disponível, admite que “estão todos com ambição de pisar o relvado do Dragão”.

APOIO DA POPULAÇÃO

O clube gostaria de trazer o Porto a sua casa, no entanto, é esperado muito apoio no Dragão. “O Porto não vem a Montalegre, mas vai Montalegre ao Porto. Montalegre vai ficar quase deserta, muita gente vai apoiar-nos e vem muita gente do estrangeiro também”, o que é visto pela equipa como “um sinónimo de orgulho, mas também de responsabilidade”. “Vamos para o Dragão fazer o nosso jogo, e temos essa responsabilidade”, referiu.

A partida para os dezasseis avos da Taça de Portugal entre o FC Porto e o CDC Montalegre joga-se amanhã (sexta-feira), às 20h45, no estádio do Dragão.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

MAIS ARTIGOS

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS