Sexta-feira, 17 de Setembro de 2021
©EN

Monumentos do Vale do Varosa vão receber eventos artísticos

Protocolos entre a Direção Regional de Cultura do Norte, câmaras municipais de Lamego e Tarouca e vários agentes artísticos foram assinados hoje, em Ferreirim.

-PUB-

O Convento de Santo António de Ferreirim, em Lamego, foi, esta manhã, palco da assinatura do protocolo “Sangue Novo em Veias Antigas”, entre os municípios de Lamego e Tarouca, a Associação Teatro Solo e a Direção Regional de Cultura do Norte.

Este protocolo insere-se num projeto “inovador” que tem como objetivo levar eventos artístiscos aos vários monumentos da região.

“Queremos dinamizar o património numa vertente artística e cultural, foi assim que surgiu este protocolo. A ideia é pegar em jovens alunos da área das artes, de todo o país, e colocá-los em contexto patrimonial, ou seja, o património não é apenas um pano de fundo, nem um elemento cenográfico, mas também um espaço de história, que poderá ser interpretada por estes jovens. No fundo é trazer a arte para dentro destes monumentos”, explicou João Pereira, mentor do projeto e ator.

Da parte da tarde foram assinados, em Tarouca, outros dois protocolos, um com a Paróquia de São João de Tarouca, para uma intervenção de conservação e restauro do órgão barroco da igreja o outro com a Associação de Desenvolvimento Local – Vale do Varosa, a implementar no antigo horto monástico.

De salientar que este foi o último ato de António Ponte enquanto Diretor Regional de Cultura do Norte, que amanhã toma posse como novo diretor do Museu Nacional de Soares dos Reis (MNSR), no Porto. Sobre o trabalho feito nos últimos sete anos, António Ponte garante que “nada ficou por fazer” e que “fica ainda muito no trabalho, no terreno, em conclusão”, referindo-se, por exemplo, às obras na Sé e no Museu de Lamego.

Notícia desenvolvida na edição de 8 de abril

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.