Quinta-feira, 29 de Setembro de 2022

Portugueses sem dinheiro para férias

Estamos no mês de agosto, mês em que, habitualmente, mais pessoas gozam férias. Alguns dos leitores deste jornal estarão a lê-lo longe da sua residência, desfrutando de um merecido período de descanso.

-PUB-

No entanto, esse “privilégio” não está ao alcance de uma parte significativa dos portugueses. Nem todas as pessoas têm a possibilidade de viajar e passar férias fora da sua residência habitual, seja no seu próprio país ou no estrangeiro. Portugal destaca-se pela negativa neste aspeto e é 7.º país europeu em que uma percentagem maior da população não tem capacidade para pagar uma semana de férias fora de casa (38% da população com 16 ou mais anos de idade).

Portugal compara-se principalmente com os países do leste e sul da Europa na incapacidade para usufruir de férias fora da residência, ou seja, os países de baixo rendimento no contexto europeu e menos competitivos em termos económicos.

Ligeiramente acima de Portugal, e a liderar esta lista (pela negativa), estão a Roménia (56% da sua população não consegue pagar uma semana de férias fora da sua residência), a Grécia (53%) e a Croácia (49%).

Em oposição ao contexto português, gozar de uma semana de férias não é um luxo para a maioria dos europeus. Na Suécia, Suíça e Noruega, por exemplo, esta oportunidade está ao alcance de mais de 90% da população.

Os resultados de vários estudos científicos têm mostrado que as férias oferecem efeitos positivos na saúde mental e física, contribuindo para o bem-estar geral de quem se afasta da agitação e das responsabilidades do trabalho e da rotina diária.

Importa relembrar, por isso, que Portugal é o país da UE em que mais pessoas sofrem de depressão crónica (12%), pelo que, até por este motivo, potenciar a prosperidade da população quebrando os obstáculos vigentes para alcançarem um maior bem-estar deveria estar no topo das nossas prioridades.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.