Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
Joana Moreira da Silva
Médica Veterinária. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Prevenção da leishmaniose canina

A leishmaniose canina, também conhecida como “doença do mosquito”, é uma enfermidade causada por um parasita, o Leishmania infantum, que é transmitido pela picada de insetos, os flébotomos.

-PUB-

A nossa região do Douro, dadas as condições climatéricas e geográficas, é um dos principais focos endémicos do país. Esta doença não tem cura e o tratamento, além de ser bastante dispendioso, pode não ser bem-sucedido. O melhor é apostar na prevenção de forma a reduzir o número de casos de leishmaniose e evitar o risco para os humanos, visto tratar-se de uma zoonose*. A prevenção desta doença assenta numa combinação de várias práticas quer pelo aumento da imunidade do animal quer pela prevenção da infeção. A forma de reduzir a infeção passa pelo uso de antiparasitários com ação repelente do flébotomo. Existem no mercado, sob a forma de pipetas (spot on) ou coleiras. O uso de redes mosquiteiras impregnadas de inseticidas também são eficazes quando colocadas nos canis pois protegem os animais de exterior que estão mais sujeitos a contrair a doença. Estes devem ser recolhidos na altura de maior atividade do mosquito, isto é, entre o pôr-do-sol e o amanhecer, em particular entre os meses de abril a outubro. Os passeios neste período também devem ser evitados.

O aumento da imunidade do animal pode conseguir-se através da vacinação ou de um xarope que melhora a resposta celular de forma a combater a infeção mais eficazmente.

Neste momento, só existe uma vacina no mercado que poderá ser administrada a partir dos seis meses de vida e confere proteção de um ano. A suspensão oral pode ser usada a partir dos três meses e a frequência deverá ser estipulada pelo médico veterinário. Os animais bem nutridos e corretamente vacinados e desparasitados também terão maior resistência face à infeção.

Uma das formas de controlo da doença e que tem sido desvalorizada diz respeito às fêmeas gestantes. Uma vez que o parasita se transmite por via vertical (da mãe para os filhotes) e por via venérea (no momento da cópula) os reprodutores deverão ser testados para impedir a propagação da doença.

*Sabia que.. uma Zoonose é uma doença dos animais que é transmissível ao Homem?

Mais Lidas | opinião

Eu raspo, tu raspas e eles ganham

(I)mobilidade

O Direito dos Animais

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.