Segunda-feira, 4 de Março de 2024
No menu items!

Quase 15 mil vespas asiáticas capturadas na campanha deste ano

No concelho de Montalegre foram, este ano, capturadas 14.654 vespas velutinas, também designadas por asiáticas.

-PUB-

Na campanha de combate à vespa velutina deste ano, promovida pelo Gabinete Técnico Florestal do Município de Montalegre, foram instaladas 250 armadilhas, entre os meses de maio e agosto.

Segundo José Luís Tavares, responsável pelo Plano Municipal de Combate à Vespa velutina, “a rede de armadilhas apresenta excelentes resultados, capturando um número significativo de vespas velutinas, no entanto, é importante ter presente que estas vespas nunca são todas capturadas e que é cada vez mais necessária a participação de todos os cidadãos na identificação e sinalização de ninhos (primários e secundários)”.

Numa nota de imprensa, a autarquia explica que “as capturas efetuadas foram, na grande maioria, de vespas fundadoras, ou seja, vespas capazes de criarem o seu próprio ninho, que seriam futuras rainhas”.

O município adianta que, até ao momento, foram identificados e devidamente eliminados cinco ninhos primários (com diâmetros entre os 5 e os 10 centímetros) e 51 ninhos secundários (diâmetros entre os 30 e os 80 centímetros).

As condições meteorológicas têm vindo a favorecer o aumento do número de vespas asiáticas, refere José Luís Tavares, destacando o caso do último ano, em que se registou “um Inverno pouco rigoroso, em que o frio pouco extremo foi favorável à sobrevivência de muitas vespas hibernadas, que em circunstâncias mais adversas poderiam perecer, para além disso, as temperaturas altas da Primavera e Verão foram favoráveis à dispersão das vespas”.

A vespa-asiática é uma espécie exótica invasora que coloca em risco, a apicultura, já que é predadora de abelhas domésticas e de outros polinizadores essenciais, afetando assim, também, pomares e outras culturas agrícolas, bem como a diversidade biológica dos invertebrados nos diversos ecossistemas.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.