Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
©DR

200 mil euros para restaurar Igreja Matriz

A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) vai dar início a obras de conservação e restauro da Igreja Matriz de Torre de Moncorvo, num investimento total superior a 200 mil euros.

-PUB-

De acordo com a DRCN, as intervenções a efetuar vão incidir na “reabilitação, restauro e consolidação do edificado, realizar os trabalhos de conservação e restauro do espólio artístico integrado, assim como melhorar as condições de acessibilidade e visita”.

A intervenção assenta em critérios de “rigor histórico, científico e técnico, valoriza-se a vertente conservativa, melhorando-se, sempre que possível e necessário, a leitura do conjunto”, acrescenta o comunicado da DRCN, onde explica que são várias as atividades a desenvolver na área da reabilitação e restauro da Igreja, “abarcando essencialmente a capela-mor e os absidíolos, mas também o espaço do alpendre sul e as portas”.

Será também feito o mapeamento das deteriorações da pedra existentes nos três portais do edifício, com o objetivo de preparar uma futura intervenção de conservação e restauro.

O imóvel apresenta, na capela-mor, uma pintura integral, sobre granito na abóbada de berço, cornija, arco cruzeiro e enxalços dos vãos, e sobre reboco nas paredes. As cenas representadas são datadas de 1779 e são da autoria de Francisco Bernardo Alves, de Bragança.

O teto, em abóbada, é constituído por 24 caixotões que ostentam iconografia alusiva à vida e Paixão de Cristo e à simbologia Mariana.

“O conjunto pictórico denota o resultado do mau estado de conservação do edifício, particularmente as pinturas sobre reboco dos alçados da capela-mor, degradação que resultou sobretudo de infiltrações de águas pluviais. As últimas intervenções realizadas no edifício atuaram sobre as referidas causas de degradação”, frisa a DRCN.

A intervenção começa com o restauro das pinturas murais da Capela-Mor, que tem apoio de fundos comunitários, e foi adjudicada à empresa Intonaco, “pelo valor de total de €60.186,80 e tem um prazo de execução de 180 dias”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.