Sexta-feira, 20 de Maio de 2022

Ante-estreia de filme transmontano com lotação esgotada

É um projeto único, feito e interpretado por gentes da região de Trás-os-Montes, que agora chega às telas de cinema.

O filme “Quem matou Laura Paula” é, segundo o autor, “a prova de que para cá do Marão há qualidade”. Carlos Morais, natural de Vila Real, escreveu o argumento. Quanto ao elenco “é composto, essencialmente, por atores locais”, conta à VTM, acrescentando que “achamos que era importante convidar um ator profissional, também para dar mais visibilidade ao filme. A escolha recaiu sobre Carlos Areia”.

O filme “conta a alucinante investigação do ex-agente da PSP, Sr. Tó Manel, agora na reforma, sobre a freira Laura Paula que aparece morta no fundo de uma ravina, com um cabo de cebolas enrolado no pescoço”.

Envolto em “mistério, suspense, intriga, aventura, terror, sexo, sátira e muito humor, o filme é uma paródia, com muita gente suspeita e muita confusão à mistura: a família aristocrata falida do Douro, os parolos da Quinta da Casa Velha, o Castelo do Reino da Penys Silvânia, o desesperado por sexo e, claro, o Sagrado Convento de Queijo Flamengo, onde tudo acontece”.

“O humor é a base de todo este imbróglio policial, que tem um desenrolar e desfecho hilariantes”, salienta.
A ante-estreia está agendada para dia 14 de maio, no grande auditório do Teatro de Vila Real e “os bilhetes já esgotaram”, indica, entusiasmado, Carlos Morais. Contudo, “estamos já a agendar a data de estreia”. O público começa a ser recebido às 20h15, com cocktail e reportagem fotográfica, sendo que a projeção do filme acontece às 21h30.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.