Domingo, 14 de Agosto de 2022

Antigo chefe de divisão revela que “só fazia o que lhe mandavam”

Em nova sessão do julgamento dos ex-autarcas de Alijó, que estão acusados de sete crimes de prevaricação, foi ouvido o antigo chefe de divisão, Jorge Gonçalves, a quem algumas testemunhas tinham imputado responsabilidades nas “obras a mais” realizadas.

-PUB-

Ouvido através de videoconferência, por estar a viver fora do país, a testemunha disse que “só fazia o que lhe mandavam e que respondia diretamente ao presidente Artur Cascarejo e ao seu vice-presidente, Adérito Figueira”, reiterando que “nenhum técnico, como eu era, tinha capacidade para decidir que trabalhos eram necessários fazer a mais”.

Lembrou ainda que “as obras a mais eram sempre solicitadas por um superior e só depois o processo andava.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.