Quarta-feira, 18 de Maio de 2022

Desporto levado às aldeias para combater sedentarismo e solidão

São 10h30. Em Abreiro, freguesia do concelho de Mirandela, está tudo pronto para mais uma aula de ginástica.

“Estas aulas fazem-nos bem, não pelo exercício, mas principalmente pelo convívio”
Maria Idalina
70 anos

Na fila da frente, Maria Idalina, de 70 anos, segue à risca as indicações do professor.
“Já vinha antes da pandemia. Gosto destas aulas, fazem-nos bem, não pelo exercício, mas principalmente pelo convívio”. Gosta tanto que admite que “durante a pandemia não tivemos aulas e foi muito triste”, acrescentando que “foi um tempo que fez mal à mente das pessoas”.

A aldeia, conta, “já teve muita gente, mas agora somos poucos. Como todas as aldeias transmontanas, também esta está a perder o seu maior bem, que são as pessoas. Estas aulas acabam por ser um ponto de encontro”.

Questionada sobre se tem algum exercício preferido, diz que gosta de todos porque “sei que fazem bem ao corpo e, principalmente, à mente”.

“Estou muito feliz com o regresso da ginástica. A idade pesa e temos de nos mexer.”
Maria do Carmo
77 anos

Pouco depois chegou Maria do Carmo, de 77 anos. Tal como Maria Idalina é das que já frequentava as aulas antes da pandemia e já estava com saudades. “Gosto deste convívio porque também perdi o meu marido e acabo por não ter tanta companhia. Estou muito contente com o regresso da ginástica”.

Se não estivesse aqui, “estava a arrumar a casa ou a ver televisão. A entreter-me para passar o tempo e aqui estou melhor. A idade pesa e temos de nos mexer”, refere.

200 INSCRITOS

A pandemia colocou tudo em suspenso e no desporto não foi exceção. Em Mirandela, as aulas de ginástica destinadas à população sénior estão, agora, a retomar e a adesão é grande.

“Retomámos esta atividade há cerca de um mês e o balanço é bastante positivo. Temos cerca de 200 inscritos, nas 15 freguesias do concelho que aderiram, para já, ao projeto, mas estamos confiantes que os números aumentem”, frisa Nuno Amendoeira, da secção de desporto da autarquia. E dá como exemplo a aula a que assistimos. “Hoje vieram mais pessoas que o habitual e já disseram que iam voltar”.

Mas nem sempre é fácil convencer as pessoas a aparecerem. Que o diga Ilda Fernandes, presidente da Junta de Freguesia de Abreiro. “Estamos a falar de terras com população cada vez mais idosa. Estas iniciativas acabam por ser uma oportunidade de saírem de casa e praticarem desporto. Nem sempre é fácil convencê-las a vir, mas com jeitinho vai lá”.

Voltando à aula, quisemos perceber como é trabalhar com esta faixa etária e quais os exercícios mais adequados. Segundo Nuno Amendoeira, “trabalhamos a questão da coordenação e do equilíbrio”, sendo que o mais importante, no meio disto tudo, é que “ajudamos a combater alguma solidão que estas pessoas possam ter. Esse é um dos nossos objetivos”.

Estas aulas ajudam a exercitar o corpo, mas sobretudo a mente. A ideia é levá-las ao maior número possível de freguesias.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.