Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Douro vai ser Cidade Europeia do Vinho 2023

O Douro viu hoje, em Bruxelas, a sua candidatura a "All Around Wine" ser escolhida para ser capital europeia do vinho em 2023.

“All Aroud Wine, All Around Douro” foi o lema da candidatura do Douro a Cidade Europeia do Vinho 2023.
Em comunicado, a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro explica que “esta candidatura é um dos maiores desafios coletivos que o Douro já assumiu em toda a sua história, materializando o desejo e o pulsar de toda uma região”.
Nesta candidatura “materializamos também a vontade de um território que é, segundo Miguel Torga, “a realidade mais séria que temos” em Portugal. Uma realidade que é “um excesso da natureza”, construída com sangue, suor e lágrimas derramados por gerações de durienses”, afirmou José Manuel Gonçalves, no discurso de apresentação da candidatura, em Bruxelas.
“Com esta vitória acalentamos o desejo legítimo de que o Douro, um grande contribuinte das exportações nacionais, faça do vinho e da vinha uma alavanca concreta e real para o desenvolvimento da sua economia e riqueza de quem aqui vive e trabalha”, continuou, acrescentando que “com esta oportunidade, o nosso território vai transmitir, representar e será uma marca económica, social e cultural com notoriedade, um exemplo de interação harmoniosa do Homem com a Natureza”.
A CIM lembra que o Douro “é uma região que atravessa um momento difícil, cujos custos de produção de vinho são os mais elevados do país, fruto da orografia das vinhas e agravado pelo aumento dos preços dos produtos indispensáveis à viticultura”, salientando que “sendo uma região Património da Humanidade, produtora dos vinhos do Porto e dos DOC Douro, a falta de equilíbrio dos custos de produção, face aos valores granjeados com as vendas, impede que esta região conheça a sustentabilidade económica geradora do crescimento e do desenvolvimento”.
Por isso, “esta vitória é uma oportunidade para o Douro atingir esse anseio. Os 19 autarcas da CIM Douro estão preparados para dar corpo a esta petição, juntamente com as entidades locais e regionais e todos os 22 mil produtores, assumindo a urgência da valorização do nosso produto e trazendo valor acrescentado à nossa região. Só desta forma poderemos garantir uma região equilibrada e com sustentabilidade. Só com este projeto e desígnio poderemos alavancar a nossa estratégia de futuro, poderemos contornar o flagelo da desertificação e acabar com o estigma de Interior profundo a que estamos ingloriamente associados”, conclui o autaraca.
De recordar que a CIM Douro é composta por 19 municípios, nomeadamente Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Lamego, Mesão Frio, Murça, Peso da Régua, Moimenta da Beira, Penedono, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Tabuaço, Tarouca, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real.
-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.