Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021
©Mária Fernandes

Fogos fora da “época quente” vão ser hoje discutidos em Montalegre 

ICNF promove reunião no concelho que contabiliza 125 ocorrências e 1.300 hectares de área ardida em 2021

-PUB-

O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) promove hoje uma reunião sobre os incêndios fora da “época quente” em Montalegre, concelho que contabiliza 125 ocorrências e 1.300 hectares de área ardida em 2021.

Segundo referiu o ICNF, em comunicado, desde 01 de janeiro o concelho de Montalegre, no Norte do distrito de Vila Real, regista 125 incêndios, sendo o concelho com o maior número de ocorrências a nível nacional, seguido de Arcos de Valdevez (Viana do Castelo) com 48.

Em termos de área ardida, Montalegre soma “já mais de 1.300 hectares”.

Com o objetivo de analisar e discutir as ocorrências de incêndios rurais desde o início do ano neste concelho, o ICNF promove uma reunião de trabalho hoje, em Montalegre, com a Câmara Municipal e Entidades do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR).

Pretende-se, segundo o instituto público, “abordar as causas destas ocorrências e perspetivar uma atuação conjunta das diferentes entidades, procurando soluções de proximidade que envolvam as populações locais”.

Participam nesta reunião, além do ICNF e da autarquia de Montalegre, a GNR, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), a Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) e as corporações de bombeiros locais.

Conta ainda com a presença do Grupo de Redução de Ignições da região Norte, que integra elementos da Polícia Judiciária e da GNR.

Na semana passada, a Câmara de Montalegre alertou para uma “situação de calamidade” no concelho por causa dos incêndios.

O vice-presidente da autarquia, David Teixeira, apontou os prejuízos ambientais e económicos, as dificuldades sentidas pelos voluntários no combate e criticou a ANEPC.

Na sexta-feira, o Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou o reforço, pela ANEPC, do dispositivo de combate a incêndios com 250 operacionais nos distritos da Guarda, Viseu, Vila Real, Bragança e Viana do Castelo devido ao risco acrescido previsto para os dias seguintes.

Segundo dados revelados pela ANEPC à agência Lusa registaram-se, entre 01 de janeiro e 25 de março, 1.227 incêndios e um total de 5.477 hectares de área ardida, valores muito superiores aos registados em igual período de 2020.

Entre janeiro e março de 2020 ocorreram 528 incêndios que queimaram 786 hectares.

Os dados da ANEPC indicam que foi nos distritos de Vila Real (236), Braga (151) e Viseu (150) que, desde janeiro, ocorreram mais incêndios.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.