Domingo, 23 de Janeiro de 2022
© DR

GNR de Bragança deteve duas pessoas por furto

As detenções ocorreram ontem nos concelhos de Mirandela e de Valpaços. Dos suspeito, um já tinha antecedentes criminais por furto qualificado, tráfico de armas de fogo e posse de armas proibidas

-PUB-

Segundo comunicado enviado à VTM, “o Comando Territorial de Bragança, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Mirandela, ontem, 28 de outubro, deteve um homem e uma mulher de 29 e 57 anos, respetivamente, por furtos e furtos qualificados, nos concelhos de Mirandela e Valpaços”.

As detenções ocorreram “na sequência de uma investigação que decorria há cerca um mês, por crimes de furto e furto qualificado”. Neste contexto, “foi dado cumprimento a quatro mandados de busca domiciliária e a três de busca não domiciliária, a um grupo que atuava de forma organizada e que se dedicava ao furto de armazéns agrícolas durante a noite, aproveitando o facto de serem locais isolados para atuar de forma discreta”.

Na sequência dos furtos, os detidos “armazenavam os bens subtraídos para posteriormente os tentar vender. Da operação policial desenvolvida, para além dos dois detidos, foi ainda constituído arguido um homem de 17 anos, os quais tinham na sua posse diverso material”, como armas, cartuchos, munições de diferentes calibres, fios de ouro, um computador, etc.

Dos suspeitos, “um já tinha antecedentes criminais por furto qualificado, tráfico de armas de fogo e posse de armas proibidas”. Além dos Postos do Destacamento Territorial de Mirandela, a operação contou, ainda, “com o reforço da Secção Cinotécnica de Comando Territorial de Bragança e do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Bragança.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.