Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Incêndio habitacional faz duas vítimas mortais

Na habitação de Donai onde, no dia 9, ocorreu o presumível homicídio de uma senhora de 65 anos, foram encontrados, hoje, os corpos de duas vítimas que tudo indica tratar-se do marido e filho da mesma

-PUB-

De acordo com Carlos Martins, comandante dos Bombeiros Voluntários de Bragança, o alerta para um incêndio habitacional foi dado pelas 8h desta manhã. “Na habitação onde houve o presumível homicídio de uma senhora, hoje fomos acionados para incêndio”.

“No interior do imóvel foram encontradas duas vítimas cadáver que tudo indica que seja o marido e o filho” da mesma, “suspeitos do crime. Ambas as vítimas têm feridas provocadas por objetos perfurantes”, avançou o comandante.

No local encontram-se 15 homens apoiados por três veículos dos Bombeiros, bem como a VMER e a GNR de Bragança, num total de 22 operacionais e nove viaturas, de acordo com os dados da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

© DR

De acordo com Carlos Martins, o caso passará para a alçada da Polícia Judiciária, que estará a caminho do local.

Recorde-se que, tal como noticiado pela VTM, na noite do dia 9 de julho, os Bombeiros Voluntários de Bragança foram acionados, pelos vizinhos, para uma agressão nesta mesma casa, em Donai. Quando os meios de socorro chegaram, a vítima já se encontrava em paragem cardiorrespiratória, sendo que o óbito viria a ser declarado no local.

O marido da vítima, um homem de 67 anos de idade, tinha ficado ferido com gravidade, no rosto e no tórax, pelo alegado homicida, que terá entrado na casa. O homem foi transportado pelos bombeiros para o hospital de Bragança. À data foi avançado que o suspeito do alegado crime de homicídio seria um familiar do casal. A investigação foi entregue à Polícia Judiciária.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.