Domingo, 22 de Maio de 2022

Limpeza no Marão “rende” mais de 50 sacos de lixo

O desafio foi lançado por Joana Barbosa, nas redes sociais do Wild Sierra Projet, que criou durante a pandemia, depois de perceber que “há muito lixo nas nossas florestas”

No sábado, às 14h00, várias pessoas responderam ao convite e compareceram junto à Pousada do Marão para colocarem mãos “ao lixo” e deixar a serra mais limpa.

Olga Oliveira é uma delas. Veio acompanhada do filho, João, de três anos. “Trouxe-o para ele perceber a importância de proteger a natureza”, explica, admitindo que “estas iniciativas são fundamentais”.

“Trouxe o meu filho para ele perceber a importância de proteger a natureza”
Olga Oliveira
Participante

O pequeno João concorda e diz que “não é bom as pessoas deitarem lixo para o chão”.
Contudo, “é pena que ainda sejam necessárias iniciativas deste género”, frisa Andreia Silva, outra das participantes, acrescentando que “vai muito da educação. Acredito que daqui a umas décadas tenhamos uma sociedade mais consciente daquilo que são as práticas diárias menos poluentes. Claro que vai demorar o seu tempo e durante uns anos teremos recolhas como esta”.

O grupo reuniu-se na Pousada do Marão e dividiu-se em dois. Uns foram para o parque de merendas, outros para a Senhora da Serra. Ainda antes de arrancarem, Andreia deu uma ideia daquilo que poderiam encontrar. “Sobretudo plástico, maços de tabaco e máscaras, tendo em conta o período que atravessamos”, indicou.

“Vamos encontrar sobretudo plástico, maços de tabaco e máscaras”
Andreia Silva
Participante

E não se enganou. Mesmo ali ao lado da Pousada, em pouco mais de 200 metros, encheram dois sacos de lixo.

“As nossas florestas estão muito poluídas. Já apanhei toalhitas, máscaras e latas”, frisou Laura Vidal, de 10 anos.

“Já apanhei toalhitas, máscaras e latas”
Laura Vidal
Participante

A mentora do projeto, Joana Barbosa, acompanhou o grupo que foi para a Senhora da Serra, onde o cenário era “vergonhoso”.

“Vamos ter que voltar lá porque ainda ficou imenso lixo. A central de telecomunicações tinha muito lixo, como restos de materiais que lá usam, desde cabos e borrachas. É vergonhoso”, afirma.

Entre parque de merendas, arredores da Pousada e Senhora da Serra, este grupo de voluntários encheu “mais de 50 sacos de lixo normais, fora os grandes”, conclui.

E porque para trás “ainda ficou muito lixo”, em breve será agendada uma nova ação de recolha.

Dos mais novos aos mais velhos, todos podem juntar-se a este movimento. Segundo Joana Barbosa “toda a ajuda é bem-vinda”.[/block]

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.