Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Mais de 90 concelhos em risco máximo de incêndio

Dos concelhos colocados em risco pelo IPMA, alguns são dos distritos de Bragança e Vila Real.

-PUB-

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou mais de 90 concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Portalegre, Castelo Branco, Leiria, Coimbra, Guarda, Viseu, Bragança e Vila Real em risco máximo de incêndio.

O IPMA colocou também vários concelhos de todos os distritos do continente (18) em risco muito elevado e elevado de incêndio, algo que vai manter-se, pelo menos, até quinta-feira.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo que os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou as regiões montanhosas da ilha da Madeira sob aviso vermelho até às 18:00 de terça-feira.

As costas sul e norte da Madeira e o Porto Santo encontram-se sob aviso laranja devido à persistência de valores extremamente elevados da temperatura máxima até terça-feira.

Também devido ao tempo quente, o IPMA colocou sob aviso laranja o distrito de Faro até às 18:00 de hoje.

Os distritos de Beja, Évora, Castelo Branco, Portalegre, Guarda, Bragança, Vila Real e Braga sob aviso amarelo também devido ao tempo quente até às 18:00 de hoje.

O IPMA prevê para hoje no continente continuação de tempo quente com céu geralmente limpo, apresentando-se temporariamente nublado em alguns locais do litoral Centro até ao início da manhã.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 13 graus Celsius (em Bragança, Porto e Leiria) e os 24 (em Faro) e as máximas entre os 24 (em Aveiro) e os 40 (em Faro).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.