Quinta-feira, 30 de Maio de 2024
No menu items!

Maus tratos na infância aumentam de ano para ano

A afirmação é de Cristina Pires, presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Macedo de Cavaleiros, que refere que “o número de casos sinalizados tem crescido”, muitos deles “através de casos de violência doméstica”.

-PUB-

“As sinalizações mais comuns são por negligência, por falta de acompanhamento parental e por maus tratos físicos e psicológicos”, revela a responsável, salientando que, normalmente, “quem dá o alerta são vizinhos, pessoas que conhecem a situação ou a escola”.

Segundo Cristina Pires, “o que recebemos com maior incidência são denúncias por maus-tratos em termos psicológicos e falta de acompanhamento parental”, revelando que “são crianças de tenra idade que muitas vezes ficam sozinhas”, quando, por exemplo, “os pais saem para a noite e as crianças ficam sem supervisão”.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS