Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022
©DR

Misericórdia de Chaves celebra o Natal com os seus utentes

Numa época do ano que invoca especialmente ao encontro familiar, continua a lidar-se com o peso de uma pandemia pelo segundo ano consecutivo.

-PUB-

Garantir sorrisos e boa disposição continua a ser o desafio da instituição, sobretudo junto daqueles que se encontram em situação mais vulnerável – os idosos residentes nas estruturas residenciais e os restantes utentes apoiados pelas respostas do Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) e Centro de Dia.

“Os presentes são todos bons, quando são dados com amor”

Laurindo Condez passou o Natal no Lar Nossa Senhora da Conceição, Vidago, onde reside há 10 anos, reconhece que “é uma época especial”, mas “por precaução é melhor ficar”, disse, no dia em que a equipa de animação sociocultural assinalava a celebração de Natal, naquele equipamento social da Misericórdia de Chaves. “Podia passar com a minha filha” acrescentou Laurindo, natural de Vila Verde de Oura, “mas aqui também fico bem e tenho saúde, graças a Deus” confessou, enaltecendo o trabalho das funcionárias do lar, “elas têm muitos cuidados e não nos fazem mais porque não podem, afinal também são a minha outra família” disse, agradecendo o presente de Natal que recebeu das mãos de uma funcionária do lar, que a Santa Casa da Misericórdia de Chaves providenciou para todos os utentes apoiados pelas diversas respostas sociais.

Junto à árvore de Natal que este ano foi especialmente decorada com adornos elaborados pelos funcionários, das diversas áreas de serviço, questionado sobre algum presente mais desejado, Laurindo Condez é peremptório “os presentes são todos bons, quando são dados com amor”, mas, de seguida, apressa-se a referir “queria que esta pandemia passasse para poder sair à rua como era antes e tudo voltar ao normal”.

Tal como os restantes utentes, também Laurindo Condez já tomou a dose de reforço da vacina contra a covid-19.

Para além da celebração da eucaristia, onde foram lembrados todos aqueles que passaram pela instituição, utentes e dirigentes, as tradições de Natal mantiveram-se à mesa e em atividades que contaram com jogos musicais e de estimulação cognitiva, adivinhas e muitos cânticos alusivos à quadra natalícia.

Mensagens especiais

De forma a ultrapassar o distanciamento físico, foram muitos os vídeos e as mensagens que os utentes receberam das respetivas famílias sobretudo daquelas, cuja distância é maior, não os impedindo de estar juntos, ainda que virtualmente.

Os utentes da Santa Casa da Misericórdia de Chaves também receberam postais de Natal elaborados pelos alunos do 7º ano, da Escola Dr. Júlio Martins, numa ação que pretende “reforçar os laços com a comunidade envolvente”. Apesar de impedidos de entrar devido às restrições impostas pela pandemia, a mensagem dos jovens chegou ao lar em diversos e coloridos postais de Natal dirigidos aos idosos acolhidos na instituição.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.