Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022

Presépios das freguesias foram vandalizados

Durante o fim de semana, os presépios das freguesias do concelho de Vila Real, instalados no centro da cidade, foram alvo de atos de vandalismo. Não é a primeira vez que tal acontece.

-PUB-

Como é habitual nesta época do ano, as várias freguesias do concelho de Vila Real foram chamadas a enfeitar o centro da cidade com presépios elaborados pelos habitantes de cada uma delas.

A mostra foi inaugurada no dia 1 de dezembro e este fim de semana alguns deles foram vandalizados, como é o caso do presépio da Campeã que, na madrugada de sábado para domingo, foi incendiado.

“O prejuízo não é muito, mas é chato as pessoas estragarem o trabalho dos outros”, lamenta Jorge Maio, presidente da Junta de Freguesia da Campeã. O presépio, feito com madeira e palha de milho, “será reposto ainda esta semana”, adiantou o autarca à VTM.

Também Manuel Libório, presidente da Junta de Folhadela, se mostrou “desiludido”, até porque “não é a primeira vez que isto acontece”.

“Fomos alertados por um popular. Quando lá chegámos vimos que tinham partido a cabeça ao menino Jesus”, frisa, referindo que “ainda vamos decidir o que fazer, mas o mais certo é deixarmos como está, para que se veja do que as pessoas são capazes”.

Outro dos presépios vandalizado foi o da Junta de Freguesia de Abaças, logo na noite da inauguração. O presidente, Filipe Brigas, lembra que “já é o segundo ou terceiro ano que nos fazem isso”, acrescentando que “perdemos muito tempo com isto e depois estragam, não sei qual é o intuito”.

A situação de vandalismo na mostra de presépios não é nova e já se têm verificado situações idênticas em edições anteriores. A Câmara Municipal de Vila Real já apresentou queixa na PSP, que irá investigar o caso, garantindo que “nesta época do ano, é feito um reforço do policiamento”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.