Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021

Saúde em Vila Real não é só Covid-19

Numa altura em que foram aliviadas (quase todas) as restrições relativas à pandemia de Covid-19 na sociedade em geral, e sem nos esquecermos que a pandemia, ainda não terminou.

-PUB-

Aliás, já nos provou que tem diferentes velocidades e está presente nos mais diversos locais do globo, devemos nós, enquanto cidadãos, ter consciência do cumprimento sempre das medidas de autoproteção.

Contudo, e para os mais distraídos, Vila Real que conta com mais de 30.000 habitantes, por muito que seja fácil, a critica e criticar quem toma decisões, principalmente na área da Saúde – sendo que algumas resultam, outras nem por isso – a resposta e o esforço que tem sido feito, em termos dos cuidados de saúde, é de enaltecer, principalmente na região transmontana.

Como cidadão, fico feliz que o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, com tantas dificuldades, tenha conseguido, finalmente a aquisição do acelerador linear, num investimento elevado acima dos 6 milhões de euros.

Ainda para os mais distraídos, – que só se lembram de Santa Bárbara quando troveja – trata-se de um equipamento utilizado no tratamento oncológico, permitindo a execução de técnicas de tratamento de radioterapia como radioterapia de intensidade modulada (IMRT), radioterapia em arco modulada volumetricamente e técnicas multilâminas estático (Step and Shoot).

Ainda, e em outra área de especialidade, no passado mês de setembro, foi apresentado pelo CHTMAD e pela sua unidade de pneumologia, um novo projeto que pretende a identificação mais célere de novos casos de cancro do pulmão, com o objetivo de reduzir de 66 para 28 dias o tempo médio de espera desde a suspeita de uma neoplasia do pulmão.

De relevar que, sendo aparentemente os pacientes a interagir e recorrer ao sistema de saúde, os intervenientes do sistema interagem também entre eles para a manutenção do bem-estar e cuidado centrados no paciente. 

Este novo paradigma de saúde colaborativa, que assenta num prisma comum de união, que é a junção de capacidades, interesses e conhecimento entre todas estas áreas presentes, têm o propósito de criar iniciativas inovadoras ​​de mudança, e ir muito além da relação médico – paciente – tratamento – cura.

Ainda, para os mais distraídos, e segundo números oficiais, os hospitais portugueses realizaram mais de 525 mil cirurgias e cerca de 9,2 milhões de consultas entre janeiro e setembro deste ano, superando a atividade registada no mesmo período de 2019 e 2020. A saúde e a prestação de serviços de Saúde não estão paradas em Vila Real, antes pelo contrário.

Neste momento, e novamente para os mais distraídos, é importante termos a consciência que a Saúde em Vila Real não é só Covid19… é muito mais que isso.

Mais Lidas

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.