Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021
Paulo Reis Mourão
Economista e Professor Universitário na Universidade do Minho. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Sobre o micro-incómodo

O microcrédito introduziu novas oportunidades para negócios, desenvolvimento socioeconómico e empreendedorismo em todo o mundo. Como consequência, existe um número crescente de estudos discutindo os efeitos de iniciativas de microcrédito na vida dos mutuários, no bem-estar de suas famílias, e nos níveis de desenvolvimento dos espaços socioeconómicos em redor.

-PUB-

No entanto, a sustentabilidade das empresas financiadas por ferramentas de microcrédito emergiu como um tema complexo. Há um número significativo de exemplos de muito sucesso em todo o mundo que tiveram/têm dezenas de anos de atividade. Mas a maioria dos dados identifica uma expectativa de vida curta para iniciativas financiadas por microcrédito, identificadas como microempresas ou microiniciativas.

Alguns padrões foram observados em todo o mundo em microempresas / pequenas e médias empresas (PME) suportadas por microcrédito. Estes projetos tendem a ser negócios baseados numa alta rotatividade (ou seja, com altas taxas de mortalidade e nascimento), os empresários são proprietários únicos, geram baixa receita fiscal e são geridos por empreendedores com recursos administrativos limitados. Essa combinação de

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas | opinião

Do bloco de notas da semana

“Uns e Outros”

Cansaço

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.