Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Tapete de Flores trouxe alegria à rua de Mateus

Depois de dois anos sem fazer o famoso tapete de flores na rua com o mesmo nome, o Grupo de Amigos de Nª Senhora dos Prazeres lançou mãos à obra e voltou a ornamentar a rua, que tem cerca de 600 metros, numa ligação que vai desde o Palácio de Mateus até à Casa de Urros.

Depois de muito trabalho com a chuva a dar poucas tréguas para a elaboração do tapete, no domingo de Pascoela, a Santa ajudou e o sol voltou a dar brilho à tradição, que se voltou a cumprir em Mateus, em honra de Nª Senhora dos Prazeres.

Depois da missa celebrada na capela do Palácio de Mateus, seguiu-se a procissão com o andor a percorrer a rua das Flores, que desta vez “estava ainda mais bonita”.

Essa foi a opinião de muita gente, que não perdeu a oportunidade de admirar o trabalho desenvolvido pelo grupo. “Já tínhamos saudades de ver a rua tão bem decorada”, contou à VTM Ana Esteves, que tem uma amiga que morou na rua e não perdeu a oportunidade de ver o tapete gigante. “Está mesmo bonito e para o ano espero voltar a vir para ver o que fazem de novo, uma vez que estão sempre a surpreender-nos com estes desenhos magníficos”.

Ana Maria Alves, do Grupo de Amigos de Nª Sr.ª dos Prazeres, que nasceu na rua das Flores, revela que foram cerca de 25 pessoas a ajudar. “Durante a semana, as pessoas que tiveram disponibilidade foram ao monte apanhar aquilo que não se estragasse. Na sexta-feira, já fomos apanhar mais flores, mas não nos livramos de uma grande molha”, conta, adiantando que, no sábado, o grupo levantou-se muito cedo para arranjar as flores, tendo acabado o trabalho mais cedo.

Albino Guicho, pertencente ao mesmo grupo, lembrou que as pessoas que ajudaram são da freguesia de Mateus, mas todos estão convidados a participar, mesmo de outras localidades. “Os que podem, ajudam a decorar o tapete, aqueles que não podem, por norma, fazem-nos a merenda”, refere.

No final, todos ficaram muito satisfeitos com o trabalho final. “Este ano, todos foram unânimes em dizer que ficou mais bonito. Eu também acho que ficou magnífico e houve ainda mais gente a passar pelo local, prometendo voltar no próximo ano, não só para ver, mas também para ajudar”, sublinhou Ana Maria Alves.

Depois de muita chuva, o sol apareceu em força no domingo de Pascoela, com o tapete bem ornamentado por vários tipos de flores (rosmaninho, trevo vermelho, azálias, magnólia, carquejas, pinhas, arbustos, urze, alecrim, giestas, camélias, jarros, lírios, rosas, espigas, bolotas, bugalhos, etc.) e outros objetos que lhe deram um brilho especial, como corações, cálices, cruzes, cestas.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.