Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022

TeleTrade: Outra ronda de inflação vs redução de estímulos da Fed

CONTEÚDO PATROCINADO

-PUB-

Conforme observado pelo analista da TeleTrade Ilya Frolov (https://www.teletrade.eu/pt), os últimos números da inflação para os EUA podem-se tornar num elo que faltava para uma melhor compreensão do corte por parte da Federal Reserve (Fed) antes da sua reunião de 15 de dezembro. Os últimos dados mostraram mais confiança no mercado de trabalho dos EUA que está a crescer no momento. As reclamações caíram para uma nova baixa de 59 anos, de 184.000, bem abaixo dos 215.000 esperados pelas pesquisas de especialistas.

Os principais índices de ações de Wall Street, que dispararam no início da semana devido às tensões aliviadas por causa da variante omicron, perderam um pouco de seu ímpacto positivo. O índice de mercado amplo S&P 500 ainda está cerca de 3,5% mais alto em comparação com as suas mínimas no início de dezembro, mas testou os níveis em 50 pontos abaixo do pico recente de 4.713 pontos. O motivo da incerteza do mercado torna-se mais claro à medida que o melhor estado do mercado de trabalho aumenta as chances de um ritmo mais rápido de redução gradual pela Fed.

O presidente da Fed, Jerome Powell, e os seus colegas podem ter um forte desejo de manter o volume atual de compra de títulos do Tesouro intacto ou apenas reduzi-lo ligeiramente nos próximos meses. O banco central pode apoiar esta decisão referindo-se aos 210.000 novos empregos que foram criados em novembro. Isso é muito mais baixo do que a taxa média mensal altamente esperada de cerca de 500.000 novos empregos. Essa diferença dá pelo menos motivos formais à Fed para falar sobre a necessidade existente de mais dinheiro a ser gasto para que a economia recupere da pandemia. A Pesquisa de Abertura de Emprego e Rotatividade de Trabalho, divulgada nesta quarta-feira, confirmou que mais de 11 milhões de empregos não preenchidos ainda estão à espera para serem preenchidos em todo o país. Todos esses números somados ainda apontam para um certo grau de tensão no mercado de trabalho norte-americano. No entanto, isso pode se tornar uma fonte pendente de inflação mais alta.

Dado o duplo mandato da Fed sobre as metas de emprego e inflação, a confissão de Jerome Powell no Congresso, pela primeira vez, de que a inflação não deve ser considerada “transitória”, conseguiu elevar os dados de inflação ao status de suprema importância no contexto da iminência da reunião da Fed em meados de dezembro. Os números da inflação acima de 7% com relação ao ano anterior dificilmente podem ser ignorados pela Fed. No mês anterior, os dados de inflação de 6,2% superaram claramente as expectativas médias das pesquisas dos especialistas da Bloomberg, que previam um aumento de 5,8% nos preços. A seguir, será a divulgação do índice de preços ao produtor dos EUA na próxima terça-feira, durante um período em que a Fed irá suportar uma semana de silêncio. No final de contas, as estatísticas podem ser o último e único fator decisivo para distinguir o ritmo adequado de redução gradual.

Ainda assim, segundo o analista da TeleTrade, a maioria no mercado digeriu o fato de que a inflação está lá, e é alta nos Estados Unidos, e é principalmente precificada. No entanto, a maioria dos investidores no mercado de ações pode tentar ser mais cuidadoso antes do dia 15 de dezembro. Esse cuidado pode resultar no encerramento de algumas das suas posições. No entanto, números de inflação abaixo do esperado podem ser considerados uma surpresa, levando os estoques temporariamente para cima. A resposta final à questão “ser ou não ser” referente ao rali de Natal só se dará após a primeira reação do consenso do mercado à decisão da Fed. Só então, talvez, possa ficar completamente claro qual nível de tapering que já está dentro do preço e quanto dessa agenda inflacionária ainda não está incluída. O mercado está ansioso para fugir da inflação para ativos em tendência, mas o que o assusta mais, a inflação ou a redução da Fed? Isso ainda não está claro.

Ilya Frolov, Chefe de Gestão de Portfólio, TeleTrade

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.