Terça-feira, 19 de Outubro de 2021
Joana Moreira da Silva
Médica Veterinária. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Desparasitantes externos

Os desparasitantes externos também conhecidos como ectoparasiticidas são medicamentos de uso veterinário contendo moléculas capazes de eliminar os parasitas externos. Os ectoparasitas que mais afetam os nossos animais de estimação são: pulgas, carraças, piolhos, ácaros, mosquitos e flébotomos. Estes parasitas podem desencadear de uma simples reação alérgica até doenças graves que lhe podem provocar a […]

-PUB-

Os desparasitantes externos também conhecidos como ectoparasiticidas são medicamentos de uso veterinário contendo moléculas capazes de eliminar os parasitas externos. Os ectoparasitas que mais afetam os nossos animais de estimação são: pulgas, carraças, piolhos, ácaros, mosquitos e flébotomos. Estes parasitas podem desencadear de uma simples reação alérgica até doenças graves que lhe podem provocar a morte, não só a ele mas também ao Homem (zoonoses). Existem várias formulações disponíveis no mercado, no entanto a sua escolha deve ter em conta diversos fatores como a idade do animal, o seu estado de saúde, o seu risco de exposição e a sua área geográfica. Em animais até aos 15 dias de vida pode optar-se pelo spray, podendo repetir-se a aplicação quinzenalmente. Deve ter-se especial atenção na aplicação de forma a evitar que o animal ingira o produto ou se exceda a dose recomendada. Os champôs são eficazes na eliminação de ovos e fezes dos parasitas, no entanto não devem ser aplicados com frequência e tal como o spray são de curta ação. Os “spot-on” ou pipetas são os mais aconselhados quer pela facilidade de aplicação quer pela sua eficiência. Na região onde vivemos, endémica de leishmaniose devemos optar por pipetas com maior espetro de ação, isto é, devem ser repelentes do flébotomo que é o vetor desta doença. A aplicação é mensal e o volume a aplicar depende do peso do animal. Para garantir a sua eficácia apenas deverá dar banho ao seu animal 48 horas antes ou após a aplicação deste produto. Os comprimidos mastigáveis também são fáceis de administrar e eficazes no entanto não tem ação inseticida. As coleiras são a opção com maior durabilidade, podendo dar proteção até um ano. A fricção constante com a pele pode desencadear reações alérgicas pelo que se deve estar atento a estas situações. E não se esqueça que o ambiente onde os animais se encontram, habitações ou canis, também devem ser fumigados no caso de haver infestação. Protegê-lo é proteger-se! 

Curiosidade

Sabia que nunca se deve aplicar pipetas de cão em gatos pois causam reações alérgicas muito grave.

Mais Lidas | opinião

O povo é quem mais ordena

Ferrovia Boas Notícias

Beneficiou da Moratória?

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.