Segunda-feira, 16 de Maio de 2022

Dois mortos e 12 feridos graves em 386 acidentes em dois dias da Operação Páscoa

A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou 386 acidentes nas estradas portuguesas, entre quinta e sexta-feira, dos quais resultaram dois mortos e 12 feridos graves, anunciou aquela força num comunicado sobre a Operação Páscoa 2022.

Sobre os acidentes que envolveram vítimas mortais, a GNR informa que na quinta-feira morreu, em Braga, um homem de 57 anos, na sequência de um despiste de velocípede.

Já na sexta-feira, após um despiste de motociclo, morreu outro homem em Vila Real.

No comunicado, que contém dados provisórios sobre a Operação Páscoa 2022, a GNR conta que foram fiscalizados já 9.788 condutores, dos quais 110 conduziam com excesso de álcool.

Dessa mais de uma centena de condutores identificados, 66 foram detidos por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas por litro (g/l).

“Foram ainda detidas 56 pessoas por conduzirem sem habilitação legal”, descreve a GNR.

Nos dois dias em análise neste balanço provisório, os militares da GNR passaram 2.234 contraordenações, destacando-se 1.400 por excesso de velocidade.

Somam-se 188 por falta de inspeção periódica obrigatória, 47 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 70 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 130 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças e 68 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

No texto enviado às redações, esta polícia militar aproveita para apelar aos condutores para que tenham “uma condução atenta, cautelosa e defensiva para que o período festivo seja passado em segurança”.

“A GNR terá especial preocupação com os comportamentos de risco dos condutores, sobretudo os que ponham em causa a sua segurança e a de terceiros”, conclui.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.