Terça-feira, 17 de Maio de 2022

DRCN congratulou-se, em Moncorvo, com elevação da igreja matriz a basílica menor

A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) congratulou-se hoje com a decisão do Papa Francisco em elevar a igreja matriz de Moncorvo a basílica menor e pelo reconhecimento da importância do templo.

Através de um decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, assinado a 12 de janeiro de 2022, o Papa Francisco atribuiu o título de Basílica menor à igreja matriz de Torre de Moncorvo, na Unidade Pastoral de S. José, Arciprestado de Moncorvo.

De acordo com a DRCN, o reconhecimento da importância do templo converge com o do valor patrimonial que o edifício detém, estando classificado como monumento nacional.

José Cordeiro, administrador diocesano de Bragança-Miranda e Arcebispo Metropolita eleito de Braga, recebeu a notícia “com gratidão à Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos” e declara ser “um sinal da memória agradecida do Arcebispo Santo S. Bartolomeu dos Mártires que ao tempo terá pensado na criação de uma diocese cuja a sede fosse naquela igreja matriz”.

Está previsto que no dia 18 de julho de 2022 se proceda à celebração solene da promulgação do título, ficando a mesma data a representar o dia de aniversário da basílica.

O templo em questão é uma das construções com maior valor arquitetónico do distrito de Bragança, considerada como Monumento Nacional desde 16 de junho de 1910.

A elevação da igreja matriz a basílica menor foi proposta por D. José Cordeiro e teve a colaboração da Conferência Episcopal Portuguesa, do Conselho Presbiteral da Diocese de Bragança-Miranda, da Câmara de Torre de Moncorvo, bem como da DRCN.

Em desenvolvimento pela DRCN está uma intervenção de conservação das pinturas murais da capela-mor do templo católico, orçada em cerca de 200 mil euros, sendo cofinanciada pelo Norte 2020 e que envolverá outros espaços deste monumento religioso.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.