Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2022
©MF

Empresas tecnológicas procuram talentos na informática

O DTech tem vindo a destacar-se na área das novas tecnologias e pretende continuar a marcar a diferença na região

-PUB-

Numa organização da Outsmartis, o DTech regressou a Vila Real, mais concretamente ao Teatro Municipal, onde estiveram empresas tecnológicas a mostrar o que têm feito para o mercado, que não para de evoluir, numa área onde se regista uma procura crescente de profissionais.

É o caso da empresa portuguesa Guestcentric, que está presente no mundo inteiro e procura profissionais com competências na área da informática, como sublinhou Sérgio Serra. “Estamos a recrutar pessoas para a área de desenvolvimento, aceitamos pessoas a trabalhar a partir de casa, o que para nós sempre foi natural. Se quiser pode trabalhar no escritório em Lisboa, mas também temos espaços em Inglaterra e Estados Unidos”.

“Este novo espaço deu mais dinâmica de comunicação entre os intervenientes, estudantes e profissionais”
André Conde, Outsmartis

Esta empresa desenvolve soluções para unidades hoteleiras. “Um hotel que esteja connosco tem tudo o que precisa não só para garantir a distribuição da oferta, mas também para ter reservas diretas no hotel, que é esse o nosso principal objetivo, ou seja, os hotéis consigam vender diretamente ao cliente, evitando pagar taxas”.

Já Afonso Fernandes é um empreender vila-realense, que cria soluções para ter uma casa inteligente, a preços acessíveis. “Em 2019 criei a Dótima e tem sido um processo longo, numa área que era totalmente desconhecida para mim (a eletrónica e a programação). Mas consegui e juntamente com um colega nasceu a Dótima, que desenvolve tecnologia para tornar as casas inteligentes acessíveis a qualquer um”.

Em breve lançará um novo produto no mercado, os interruptores inteligentes instalados na parede. “Têm muitos sensores para que a casa tenha um comportamento autónomo que siga as nossas vontades, como perceber se existe um incêndio, automizar o aquecimento, a luz, sem tocar em nada”.

“Estamos a desenvolver uma inteligência artificial para que o interruptor consiga adaptar-se às nossas rotinas”
Afonso Fernandes, Dótima

André Conde, dinamizador do DTech, referiu que o evento “correu bem”, em que conseguiram cumprir os objetivos. “Conseguimos juntar estudantes e profissionais, onde demos a conhecer mais empresas, numa iniciativa que trouxe a Vila Real vários profissionais da área tecnológica”.

O facto de terem mudado do Regia Douro Park para o Teatro Municipal aproximou mais estudantes do evento. “Este novo espaço deu mais dinâmica de comunicação entre os intervenientes, estudantes e profissionais”, salientou André Conde.

Muitas empresas aproveitaram para se darem a conhecer, encontrar oportunidades de negócio e também deixaram oportunidades para quem pretende ingressar no mercado de trabalho.

Depois de em 2020 não se ter realizado por causa da pandemia, este ano regressou de forma híbrida, ambiente físico e virtual, adaptando-se à nova realidade, trazendo à região oradores nacionais e internacionais, de forma interativa e educativa, com desafios suportados por ‘gamification’, que tornaram o “evento único”.

Ana Carvalho, LDMEDIA

Sérgio Serra, Guestcentric

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.