Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024
No menu items!

Ex-autarca de Murça foi a tribunal negar “qualquer crime” de que está acusado

João Teixeira, presidente da Câmara de Murça entre 2001 e 2013, está acusado de crimes de peculato, prevaricação e falsificação de documentos agravada.

-PUB-

Em causa está uma viagem a Angola, em 2013, por parte de uma comitiva municipal com o objetivo de formalizar um protocolo de geminação com o município de Cambulo, na província de Lunda – Norte. Acontece que, na comitiva, seguiram duas pessoas que não trabalhavam  nem tinham qualquer ligação profissional com a autarquia.

As pessoas em causa eram a mulher do ex-presidente e o marido da secretária do gabinete da presidência. Segundo o Ministério Público (MP), “a inclusão destas pessoas na comitiva não foi precedida por qualquer deliberação ou autorização camarária”.

Recorde-se que a viagem a Angola aconteceu entre 30 de junho e 7 de julho de 2013 e a câmara pagou 3.193 euros pelos bilhetes de avião para Angola e vistos para aquelas duas pessoas.

O MP acusa o autarca de ter ordenado que o valor total de 9.580 euros com a viagem da comitiva fosse repartido em duas parcelas (4.680 e 4.900 euros), “com o fito de contornar as regras de contratação pública que imporiam, se considerado o referido valor global da aquisição, procedimentos de contratação mais exigentes”.

No início do julgamento, que aconteceu esta terça-feira, em Vila Real, João Teixeira, perante o coletivo de juízes, negou qualquer crime e justificou que aquelas duas pessoas, “foram convidadas pelas autoridades locais a irem a Angola”.

Notícia desenvolvida na edição de 27 de abril

 

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.