Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Fernando Queiroga indignado com os CTT

Em causa estão os sucessivos atrasos na distribuição de correio. A situação tem gerado muitas reclamações e manifestações de desagrado por parte da população.

É uma situação que, segundo o município de Boticas, se está a tornar “insustentável”. Os sucessivos atrasos na distribuição de correio, por parte dos CTT, têm levado a população do concelho a reclamar, porque “a correspondência não é entregue ou chega com vários dias de atraso”.

Agora, é Fernando Queiroga a mostrar o seu desagrado para com a situação, frisando que “tem acarretado encargos adicionais para os munícipes, que recebem a correspondência, inclusive faturas e pensões de reforma, fora da data limite, dando origem à suspensão de serviços e/ou pagamento de juros de mora”.

“Esta situação é inaceitável e vergonhosa, que revela a falta de consideração que os CTT continuam a ter com a população”

Para o autarca, “esta situação é inaceitável e vergonhosa, que revela a falta de consideração que os CTT continuam a ter com a população do concelho de Boticas, bem como a fraca qualidade dos serviços prestados por esta entidade”.

Este problema, lembra, “arrasta-se desde agosto de 2021”, altura em que foram reportadas aos CTT, pela autarquia, “as repetidas falhas na entrega de correio”.

“Os consecutivos atrasos verificados têm impactos muito negativos para os nossos munícipes que não conseguem ter acesso à correspondência atempadamente. O problema tem sido cada vez mais recorrente e tem vindo a colocar em causa o bem-estar das nossas populações, o que me deixa evidentemente indignado”, afirma Fernando Queiroga.

A autarquia pediu, entretanto, nova reunião com os CTT.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.