Terça-feira, 31 de Janeiro de 2023
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Novo Plano Nacional para a Literacia Mediática em 2023

Cada vez mais, as rotinas diárias da população, incluindo os mais novos, passam pela utilização de dispositivos tecnológicos, pelo que se revela essencial que a sua utilização seja acompanhada de sentido crítico e o seu envolvimento se defina democrático

-PUB-

Para ajudar a combater a desinformação, em 2021, o Governo lançou o Plano Nacional para a Literacia Mediática, que será reforçado no próximo ano. O Governo prevê no Orçamento de Estado (OE) para 2023 um novo Plano Nacional para a Literacia Mediática, assim como a criação de uma Comissão de Livro Branco sobre o serviço público de rádio e televisão e o acesso livre às imagens disponibilizadas por museus, monumentos e palácios Nacionais.

O Governo adianta que, “em articulação com o Plano Nacional de Leitura, o Plano Nacional para a Literacia Mediática visa reforçar competências de leitura crítica indispensáveis a uma cidadania informada, combatendo a desinformação através do acesso, da consulta e da leitura de conteúdos de imprensa”.

O plano será implementado junto das comunidades escolares e também das camadas seniores.

O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, anunciou que o novo Plano Nacional de Literacia Mediática será integrado no Plano Nacional de Leitura. “Será lançado no próximo ano e corresponde a uma preocupação que julgo que é transversal a todos, com aquilo que são as competências que é preciso desenvolver para a literacia e para literacia dos media, em particular”, afirmou.

Nesse sentido, sublinha o ministro, “tomámos uma opção de integrar este plano no Plano Nacional de Leitura”, porque isso permite, por um lado, “aquilo que é a rede e a capilaridade deste plano, seja em contexto escolar, seja em contexto das bibliotecas, e não duplicar estruturas, mas pelo contrário acrescentar esta responsabilidade ao Plano Nacional de Cultura”.

INCENTIVAR A LEITURA

Numa altura em que os jovens se mostrou cada vez menos interessados em ler jornais ou revistas, estando mais atentos ao que se passa nas redes sociais, os objetivos do Plano Nacional para a Literacia Mediática passam por combater a desinformação, contrariar o défice no acesso, consulta e leitura de conteúdos informativos de imprensa, e promover o combate à desinformação e à divulgação de conteúdos falsos”.  

Este é também um dos propósitos do projeto O Jornal vai à Escola”, que esteve nas escolas a mostrar aos alunos a importância de ler jornais, revistas e procurar informação verdadeira junto dos órgãos de comunicação social oficiais, para que consigam formar opiniões fundamentadas com base em informação verdadeira, num mundo que está em constante evolução e em tempos em que o acesso a informação está à distância de um clik, que é preciso saber identificar como sendo verdade, num espaço cibernético inundado de informação falsa, que é preciso combater, pois pode estar em causa a própria democracia. 

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.