Terça-feira, 19 de Outubro de 2021
©RN

Nuno Ferreira toma posse e promete “autarquia transparente”

Decorreu esta manhã, no Auditório Municipal de Freixo de Espada à Cinta, a tomada de posse dos novos órgãos autárquicos, eleitos a 26 de setembro.

-PUB-

Foi uma das surpresas das eleições autárquicas de 26 de setembro. Nuno Ferreira (PS) recolheu cerca de 63% dos votos e foi eleito presidente da Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta.

No seu primeiro discurso na qualidade de presidente, e diante de uma plateia lotada, o socialista falou em “tempo de mudança”, garantindo uma autarquia “transparente, séria e honesta”.

De entre as várias prioridades, destaque para a educação e a saúde.

“Queremos trazer o ensino profissional para o concelho, para que os nossos jovens não precisem de ir estudar para fora e adianto, em primeira mão, que vamos, também, pagar o transporte (autocarro ou comboio) a todos os alunos do ensino secundário e superior, para poderem vir a casa, ao fim de semana, aliviando as finanças das famílias”.

©RN

Na área da saúde, “há a intenção de colocarmos a consulta aberta até à meia-noite”, sendo que até agora funciona até às 22h00, “sendo o custo suportado pelo município”.

Na cerimónia, não faltaram as habituais “farpas” a quem geriu o município nos últimos anos, com Nuno Ferreira a deixar garantias à oposição de que “toda a informação que solicitarem ser-vos-á dada e todas as ideias que apresentarem serão tidas em conta e não metidas dentro de uma gaveta”.

No meio de tanta “festa” não passou despercebida a ausência da ex-presidente da câmara, Maria do Céu Quintas, que renunciou, também, ao cargo de vereadora.

Notícia desenvolvida na edição de 21 de setembro

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.