Sábado, 3 de Dezembro de 2022
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Os preços a aplicar pelos CTT podem subir até 6,80%

Em 2022, os preços a aplicar pelos CTT poderão subir até um máximo de 6,80%, segundo o novo contrato de concessão para prestação do serviço postal universal (SPU).

PUB

Os CTT revelaram que foi celebrado o novo contrato de concessão para a prestação do SPU, num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que vai permanecer por sete anos.

Segundo a informação que foi enviada ao mercado, “para o ano de 2022, o qual funcionará como período de transição, os preços a implementar pelos CTT deverão respeitar uma variação média anual máxima de 6,80%”.

Foi hoje publicado em Diário da República o diploma que modifica a Lei Postal que estabelece o regime jurídico aplicável à prestação de serviços postais no território nacional.

“Em caso de impossibilidade de obtenção de um acordo no âmbito do convénio, no prazo estabelecido no número anterior, cabe ao membro do Governo responsável pela área das comunicações, no prazo máximo de 20 dias, a definição dos critérios a que deve obedecer a formação dos preços dos serviços postais que compõem o serviço universal, a vigorar por um período de três anos”, lê-se no comunicado.

São modificadas as normas referentes ao modelo de definição dos critérios de formação de preços do SPU e à fixação dos parâmetros de qualidade de serviço e dos objetivos de desempenho associados à prestação do SPU, segundo o decreto-lei.

De acordo com a formação de preços, é saliente que se pretende fortalecer a estabilidade essencial e previsibilidade contratuais, “bem como reforçar o diálogo” entre as entidades relevantes.

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.