Terça-feira, 21 de Maio de 2024
No menu items!

Padre Max e Maria de Lurdes homenageados 48 anos depois do ataque bombista

No domingo (21), um grupo de amigos e membros da associação UDP (União Democrática Popular) juntaram-se no cemitério de Santa Iria, em Vila Real, para dizer que não esquecem o legado do padre Max e de Maria de Lurdes, que morreram há 48 anos.

-PUB-

De regresso a Vila Real, vindos da Cumieira, onde o Padre Maximino de Sousa dava aulas, na noite de 2 de abril de 1976, o carro em que seguiam foi alvo de uma bomba.

“Fomos todos apanhados de surpresa com o atentado a que ele foi sujeito”, diz Vítor Pires, que é do Porto. “Estive aqui no funeral. Houve uma grande manifestação de massas na rua, Vila Real paralisou”, lembra. No cortejo fúnebre, que diz ter durado mais de duas horas, devido à turba de gente que se juntou, chegou a transportar a urna.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS