Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Pedido para otimizar projeto da mina “dá razão à contestação”

As palavras são do presidente da Câmara de Boticas disse que o pedido de reformulação do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da mina do Barroso, feito pela Agência Portuguesa do Ambiente à Savannah, vem “dar razão” à contestação ao projeto.

-PUB-

“Quando nós dizíamos que o estudo estava mal feito, incorreto, tinha afirmação que não correspondiam à realidade e tinha dados errados e, portanto, isto só vem confirmar a nossa posição e a nossa contestação na altura da consulta pública”, afirmou Fernando Queiroga.

A Savannah Resources, empresa que quer explorar a mina de lítio em Covas do Barroso, informou na semana passada que foi notificada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) para reformular o projeto, antes da emissão da Declaração de Impacte Ambiental (DIA).

Após a apresentação e confirmação da aceitação das medidas de otimização, a APA tem um prazo até 50 dias úteis para proceder à sua avaliação e emitir uma DIA, prevendo-se, por isso, que a decisão seja tomada até março de 2023.

Fernando Queiroga considerou que o EIA “foi mal feito porque não tinha tudo, não diz a verdade toda, não tinha os argumentos todos”.

“Chamei a atenção que, por exemplo, não havia nada, um parágrafo sequer a fazer referência aos acessos que têm que rasgar no concelho de Ribeira de Pena e a Câmara de Ribeira de Pena ainda não foi consultada para isso. Não está aí vertido. Perguntei em modo irónico se o que vai ser extraído vai ser retirado de helicóptero ou avião, porque estradas não havia”, apontou o autarca.

Apesar de contente com o pedido da APA, o presidente disse que nunca poderá ficar descansado. “Achamos que a razão está do nosso lado e lutamos pelos direitos das populações, que eu acho que não estão a ser acauteladas, porque vai ser um prejuízo enorme para esta gente, que aqui continua a residir”.

“Nós, assim como a APA, estamos comprometidos em entregar um projeto ambientalmente responsável e socialmente otimizado. Da mesma forma, continuamos dedicados a um programa de vida do projeto de melhorias contínuas que foi ilustrado com a nossa estratégia de descarbonização em rápido desenvolvimento”, afirmou, em comunicado, Dale Ferguson, diretor executivo (CEO) da Savannah Resources.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.