Sexta-feira, 20 de Maio de 2022

Visitas pascais estão de regresso às casas transmontanas

Logo pela manhã, os sinos tocaram a rebate a anunciar a ressurreição de Jesus Cristo. É a Páscoa, a festa mais importante da Igreja Católica

Em muitas aldeias transmontanas, o ritual do compasso regressou após dois anos de pandemia, que não permitiu levar a Cruz a casa dos portugueses.

No entanto, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) recomenda um comportamento responsável às comunidades católicas, desde logo, com o uso de máscara sempre que houver ajuntamentos, mesmo ao ar livre.

Relativamente à tradição da Visita Pascal, quando a Cruz entra nas casas das pessoas, só os elementos do cortejo que a transporta podem entrar, e todos devem usar máscara.

Sempre que outras pessoas acompanhem o cortejo, devem aguardar à porta, para se evitar aglomerados.

@DR

“O guia do grupo dirigirá uma breve oração com a família reunida, terminada a qual os membros desta são convidados a venerar a Cruz com uma vénia ou outro gesto que não implique contacto físico”, explica a CEP, desaconselhando o habitual beijo ao crucifixo, no contexto do anúncio da ressurreição de Jesus.

Quanto às famílias, pede-se que não partilhem alimentos com os membros do grupo dos mensageiros da Páscoa, ainda que tenham a mesa posta.

A Igreja Católica pede ainda que se proceda à higienização das mãos “sempre que haja contacto físico com pessoas ou coisas”.

Os bispos determinam que a Comunhão deve continuar a ser ministrada apenas na mão dos fiéis e anunciam o regresso da saudação da paz (facultativa), através de “um sinal sem contacto físico”, por exemplo, uma vénia ou inclinação.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.