Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024
No menu items!

Alunos do 10º ano vão ter formação em suporte básico de vida e primeiros socorros

Todos os jovens que frequentam o 10º ano de escolaridade vão ter formação em suporte básico de vida e primeiros socorros, anunciou hoje o ministro da Administração Interna.

-PUB-

A medida consta da Estratégia Nacional de Proteção Civil Preventiva e, segundo José Luís Carneiro, vai contar com o apoio dos municípios e das corporações dos bombeiros voluntários, que irão às escolas ministrar essa formação.

“Foi dada uma orientação à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, para a qual vai também contribuir o Ministério da Educação, com ajuda dos municípios portugueses e das associações humanitárias, para capacitar todos os jovens que entram no 10º ano de escolaridade para suporte básico de vida, um conhecimentos fundamental para sua vida própria, mas sobretudo para que possam ajudar os outros em circunstâncias de dificuldade”, disse o ministro na sessão de abertura da conferência ‘MAI(s) Próximo’, que decorreu na Universidade de Lisboa.

Em declarações aos jornalistas, o ministro indicou que o município de Mangualde, no distrito de Viseu, vai ser o primeiro a avançar com esta experiência, onde “muito em breve” será feita uma apresentação do projeto para que depois se possa desenvolver em todo o país.

José Luís Carneiro disse que há um outro município no distrito de Porto que também quer desenvolver o projeto. “É claro que isto tem que ser um processo paulatino e gradual porque não se pode de um dia para o outro capacitar todos os jovens”, disse.

A Estratégia Nacional de Proteção Civil Preventiva, publicada em Diário da República em 2021, define 10 áreas prioritárias e 136 objetivos operacionais, os quais traduzem projetos e atividades a implementar pela administração central, câmaras municipais e juntas de freguesias durante 10 anos.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.