Segunda-feira, 20 de Maio de 2024
No menu items!

Júlia Rodrigues preocupada com silêncio sobre encerramento da urgência de cirurgia

Desde outubro que o hospital de Mirandela está sem serviço de urgência de cirurgia. Sete meses depois ainda não há data para a sua reabertura.

-PUB-

Em outubro de 2023, a urgência de cirurgia do hospital de Mirandela encerrou com a promessa de que seria uma medida temporária.

Em causa estava o facto de os três cirurgiões que ali prestavam serviço terem sido deslocados para o hospital de Bragança, com o argumento de que, com a greve às horas extras, havia falta de pessoal para completar as escalas.

Esta quarta-feira, em conferência de imprensa, Júlia Rodrigues mostrou-se preocupada com o facto de, até agora, “nunca nos ter sido dada qualquer explicação”.

Em janeiro, a ULS “disse-nos que, depois das greves, o serviço iria reabrir, mas não nos foi dada a certeza de que isso vá acontecer. Como já aconteceu, no passado, a retirada de outros serviços, temos muito receio que esta medida passe a ser definitiva”, confessa a autarca mirandelense, adiantando que já está agendada uma nova reunião com a administração da ULS Nordeste, que irá acontecer na próxima segunda-feira, e foi solicitada uma audiência com a nova ministra da Saúde, para que possa receber os presidentes de câmara do sul do distrito de Bragança, nomeadamente Alfândega da Fé, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Freixo de Espada à Cinta e Torre de Moncorvo.

De referir que a VTM solicitou, na semana passada, um pedido de esclarecimento à direção do SNS e também à ULS Nordeste. Até ao momento não recebemos qualquer resposta.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS