Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022
António Martinho
António Martinho
VISTO DO MARÃO Ex-Governador Civil, Ex-Deputado, Presidente da Assembleia da Freguesia de Vila Real. Colunista n'A Voz de Trás-os-Montes

Um caminho a fazer

Temos um caminho a fazer, promovendo a riqueza do Douro de forma integrada, ouvi da boca de um Presidente de Município, num intervalo do circuito automóvel de Vila Real. E ocorreu-me o pensamento de que já havia mais um a pensar na necessidade de olhar para o território de outro modo. Amadorismo e improvisação não resultam, como nunca resultaram. Importante, mesmo, é a consciência de que o caminho tem que ser outro, diferente do que tem sido percorrido. Esta aspiração aplica-se a toda a região de Trás-os-Montes e Alto Douro. Pela força da diversidade deste Interior Norte, pelas suas características e necessidades.

-PUB-

O Douro é a maior diversidade concentrada que temos. Desde logo, no turismo. Mas também no vinho, na produção de frutos secos e na hortofloricultura. Complementado com Trás-os-Montes, com outras produções do setor agroindustrial, com a maior reserva de água e a aptidão para a produção de energia elétrica limpa, hídrica ou eólica. Até na exploração mineira há um caminho a fazer, desde que não se permita a degradação de tudo o que é nosso, com base na ideia de que nada do que temos tem valor, ou de que não sabemos, nem somos capazes, de gerir o que é nosso – uma ideia peregrina que tem feito caminho nos últimos tempos – que tem

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

Mais Lidas

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.